22 setembro 2008

O espelho, o grito, a máquina do tempo, o olhar...

Vamos ver... vou esquecer, ele diz sem convicção.
Sente falta de tudo, mesmo que tudo fosse uma mentira.
Carinho mentiroso só faz mal depois;
na hora também é bom.
Dói. Mas eu saio dessa.
Vamos ver... A última vez que a vi?
Bem... Foi em setembro. Chovia.
Ela se olhava num grande espelho na sala,
ajeitando os cabelos, retocando o batom.
Ela olhava pelo espelho, muda,
escutava como se estivesse atrasada.
Depois virou-se, e com o olhar apontou a porta.
Aquele olhar... foi um grito,
um grito que fez eco sem emitir nenhum som,
gritou um vai embora que grita agora
no filme que assiste.
De tão claro que vê o grito se espanta
quando percebe a lonjura dos anos
e aquele vai embora tão perto.
Carrega-o como máquina do tempo para voltar,
sempre, ao mesmo ponto.
...Silêncio.
Acabou sua hora, disse o analista.
Me vejo.

6 comentários:

Tiago Soarez disse...

Dauri,

O melhor de ler o que você escreve é que eu consigo imaginar tudo de uma forma tão clara... é muito bom!

Então vamos juntar o Café e a Palavra!

Amanhã a noite, quando terei mais tempo, farei o post para indicar o Essa Palavra no Bossa... será um prazer!

Grande abraço,
Ótima semana!

Bossa Nova Café - textos, música e arte!

Dois Rios disse...

Oi Dauri,

Agradeço a sua gentil visita.

Gostei da sua maneira sagaz e sutilmente áspera de jogar com as palavras (De tão claro que vê o grito se espanta). Excelente!

Vou voltar!

Beijos,
Inês




Dauri Batisti disse...

Dois Rios, obrigado pelo comentário. É... de certa forma é isso mesmo o que quero passar, as planícies e as cavernas, o suave e o áspero, o toque e a porrada. Valeu mesmo.

Estou em brincadeiras com composições que incluam "setembro" e "me vejo". Uma espécie de "oficina literária" que me propus para não me entediar com os meus próprios posts.

Você me entende?

JOICE WORM disse...

E Setembro é "aquele" mês que comentamos. Parece um mês mágico. Cheio de ternura e flores. Mês de inspiração. Onde tudo é Virgem.
Beijos a ti, amigo Dauri...

alua.estrelas disse...

A gente sempre gritando por algo... Mesmo quando nos escapam as palavras e até mesmo o som...

Estou adorando tudo por aqui... Parabéns pelo texto!

Bjos.

Camilla disse...

E suas descrições são tão perfeitas que meus olhos vão chegando mais pertinho da tela. Olhando pro final. e quantas mil palavras e costuras vc encontra pra se ver não é? Curioso isso. muito curioso. Quero continuar vendo.