16 setembro 2009

VI

Uma angústia estrangeira
me amanhece. Desce
dos mesmo barco que
me atravessa. contrata

alegrias e abismos,
dos dias. Olhos lentos,
coração acelerado. Semeio
pensamentos depois
da boa chuva dos sonhos.

Penso. Penso é modo de dizer.
Penso porque me violentou
o amanhecer. Penso e desejo,
quero um dia bom. Será

que descobrirei o amor
pássaro certo para
soltar das mãos. Aperto

o lápis, mas sei, há
tantos modos de desenhar
na folha dos dias o amor
quantos são os raios que fazem
o sol do relógio.

Meus estrangeiros, sentimentos,
explico assim, silêncios
que acordaram. Um vento
rompeu a janela e
me voltou para mim.

8 comentários:

Maria Helena disse...

Seus desenhos são feitos com palavras que escrevem colorido rabiscando raios de alegria, mesmo que os sentimentos sejam estrangeiros.
Tenha uma boa noite e que o seu amanhecer lhe traga mais poemas...
Bjos
Maria Helena

paula barros disse...

Na viagem real que estou fazendo encontrei um tempinho para ler você e me deixar viajar. Me deu a sensação que eu poderia encaixar minhas fotos e minhas emoções com suas frases.

(Ainda me extasio e me espanto com sua capacidade de escrever)

beijo

Memória de Elefante disse...

o sentimento
a espera
parece estranhado
na folha branca
o traço do lápis
amanhecer

Mai disse...

São tantos os esboços, são tantos...Tantos que descem dos...
Há barco e abarco o que descendo em amor dos barco que desci...
São tantos os traços que aperto o lápis, o amor e o barco.

um beijo
eu viajo e te viajo nesses issos que abarco.

Camilla Tebet disse...

Então não são estrangeiras todas as angustias que nos amanhecem???
Ah são..

Tatiane Trajano disse...

Esses sentimentos estrangeiros que surgem, sem explicação, sem tradução...
me atravessam, e cortam.

Beijos

Isaque Viana disse...

Olá! Vi seu recado e passei cá por essas bandas para conferir. Olha, gostei, viu?
"Será que descobrirei o amor
pássaro certo para soltar das mãos"
Bem bacana. Bem bacana.

Forte Abraço.

Rabisco disse...

Olá!
Um poema muito bem escolhido, muito bonito mesmo!

Abraço