21 julho 2009

Quando se encontra
a palavra certa
sobe-se uma montanha. Mas,
de lá se avista
a feiúra da frase.


Já se é tanta coisa, e a vida
é escrita em tantos papéis.
Poeta não,
basta o revés.


A vida despagina
outros livros não escritos, sopra
poeiras sobre a flor,
e é isso um poema.
A flor espera a chuva.


O que se diz,
se diz
sem efeito duradouro,
um leve contentamento.

8 comentários:

Dora disse...

Amigo Dauri...Cheguei, para um abraço saudoso!
E...concordo! Nada supera a vida!
Ela se sobrepõe à duração das vãs palavras que sopramos nos cadernos.
No entanto, teimamos em recolher a existência, em nossas efêmeras tentativas com os verbetes de dicionários. E nos contentamos com a pouca duração dos versos, porque estamos vivos e sempre queremos, de alguma forma, celebrar isso...
Forte abraço, pois!!!! cheio de vida vivida!
Dora

Oliver Pickwick disse...

O poeta conversa consigo próprio, se auto-questiona e vislumbra a sua obra sob o prisma da dúvida. Se nada é para sempre, quem se importa com efeito duradouro, se o momento do leve contentamento é tão essencial?
Um abraço!

Ava disse...

Querido Poeta...

Poesia é eterna...

Não morre...

Assim como os sentimentos...

São sempre os mesmo...

Podemos cantá-los em prosa e verso, passam-se os anos... e continuamos a sofrer amor amor... a sentir alegria, tristezas, solidão,raiva, ciumes, saudades...

A flor espera a chuva...

O poema espera a eternidade...

Quando subir a montanha, não olhe para baixo... continue olhando o infinito...rsrs

Quem há de saber qual a palavra certa ou errada...


Sempre que leio voce, fico assim... viajando... rsrs


Beijos em seu coração!

Elcio Tuiribepi disse...

Esse leve contentamento deveria ser eterno, talvez assim nós fossemos sempre levemente felizes...um abraço na alma...

jorge disse...

Como profissional da área você deve entender bem sobre essa transitoriedade que trata no poema.
Trabalhar essa angustia da finitude com a palavra é um privilégio do poeta.
Obrigado por suas constantes palavras de estímulo.

Abraço,

Jorge

Rodrigo Andreiuk disse...

muito bom!
parabens!
se tiver um tempo escute meu trabalho, sou pianista!

Opuntia disse...

"e é isso um poema". As palavras parecem brotar de ti, como a água, da nascente.

Bjos

Joe disse...

Dos mais recentes, este é o meu favorito. Mas não é que seja fácil escolher um.