15 julho 2009

Desajeitadamente procuro chamar sua atenção:
me deleto.



Nas telas por trás dos meus olhos a cena clichê:
o mesmo amor.



Redobro palavras em e-poemas nas paredes:
você não me lê.



Quando você me enxerga com um canto de olho pergunto:
seu olhar me cria ou me revela a mim mesmo.

8 comentários:

Márcio Ahimsa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Márcio Ahimsa disse...

esses olhos tortos
olhos alheios
esses olhos cheios
desses "eus" mortos
esses olhos avessos
que de manhã me escondem
de tarde são "eus" travessos
de noite me descobrem

Abraços

paula barros disse...

Me fez pensar, já que não sei comentar.

Há olhares que leem, outros criam, imaginam, inventam, outros descobrem, desnudam.


abraços, boa quinta.

CASSIANE disse...

Olá,

Parabéns, seu blog é muito bom.
São intensas as suas palavras.

Gostei.
Muito.

Abraços
c.

Andressa Machado disse...

Oi!!!
É a primeira vez que passo por aqui, gostei de seu estilo, diferente. Mas já gostei e já linkei.

Parabéns e até um outro dia.

Maria Helena disse...

Lendo-o ,vi num milésimo de segundo vários olhares ou modos de olhar:Jesus,Maria,o anjo caído,Capitu,Zeca Diabo,Madame Bovary,o poeta que consegue fazer poesia lembrando de uma pedra perdida numa estrada,olhos que lêem os poemas
tentando achar o mel ou o vinho que embriaga.Meu Deus!Como vajei...
Lindo
Beijos de Maria Helena

Éverton Vidal disse...

Dauri,

Chego aqui por meio do Eurico que te indicou. Nao me arrependo de ter vindo. É ótimo quando encontramos blogues desta categoria. Além de se deliciar a gente também aprende.

Parabéns pelo trabalho e bom gosto no layout do blogue.

Inté!

Camilla Tebet disse...

O olhar do outro nos cria ou nos revela. Olha, essa pergunta vai ficar comigo um tempão. O que é isso? O segredo do amor. O segredo do bem estar com o outro.
Grandes descobertas por aqui.