05 maio 2009

O que dá na telha e nas feiras
(terça-feira)

Terçar pedras e fazer estradas.
De tanto desafiar as sombras,
as rosas e o fogo se irmanam
em vermelhos delicados e em
hastes dobradas. Sim,
já sei, andar. Vou tentar
interligar caminhos, formar
traçados, criar jardins. Mas não sei
remover o peso das horas,
libertar-me dessas neblinas.

***

As profundidades explodem,
por fora o mundo fica ainda mais
estranho, sendo casa, todavia.
E pergunta-se, onde estamos.
Bronze o sino, antigo sol, espírito
que se invoca sem saber os ritos
em sôfregas tentativas de dizer luz.
A luz está nas letras que ainda
não formaram palavras.
As ruas tomaram os meninos
das escolas. Altera die.

***

O relógio corre. Terça tédio,
indiferença, lenha de incêndio fácil
para a maldita fogueira
que esquenta o mundo
e queima a floresta.
Sofrimento e primavera
se articulam em estranhos laços
na generosidade de quem
barqueia os dias com amor.
O dia é um rio lindo que vaza.

10 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO DAURI, MARAVILHOSO POEMA... FIQUEI ENCANTADA...BEIJINHOS DE CRINHO,
FERNNBDINHA

Germano Xavier disse...

O homem das séries poemáticas infindáveis, curiosíssimas, inapagáveis. Dauri Jack que vê no ínfimo o gigantismo dos grandes temas.

Que venha a Quarta!

Abraço forte.
Continuemos...

Dois Rios disse...

"Já sei, andar. Vou tentar
interligar caminhos, formar
traçados, criar jardins."
...
"O dia é um rio lindo que vaza."

Dauri, faltam-me palavras diante do turbilhão de sentimentos que os teus versos me causaram.

Dizer o quê, então? Que o que te dá na telha e nas feiras vira poesia que faz pensar, que remexe, que encanta, que seduz?

Lindo, meu querido! É o que me cabe dizer. Você é um poeta de todos os dias.

Beijos,
Inês

Dora disse...

Na terça, o dia é um "rio lindo que vaza". E haja procura da luz nesse mundão que ocorre nas terças!
Não vou destacar verso. Mas, posso falar dessa? " A luz está nas letras que ainda não formaram palavras"...Prá mim, essa frase é um achado para quem, como eu, procura "falas" atrás do pensamento...
Beijos!
Dora

Eurico disse...

Sim, a luz antecede as palavras e a Palavra antecede a luz. Há uma dialética na criação. Um diálogo que prescinde de ritos. Um diálogo que irmana as rosas rubras e o fogo. Mas um diálogo do dia, rio que vaza, com o outro dia, que chega.
Clepsidra, relógio lunar, ciclo das marés? Altera die!
Ave, poesia!

Abraçamigo.

©tossan disse...

Um só argumento:
De nada vale
a vida sem
contemplação
da poesia!
tossan
Beijo

paula barros disse...

"Sim,
já sei, andar. Vou tentar
interligar caminhos, formar
traçados, criar jardins. Mas não sei remover o peso das horas,
libertar-me dessas neblinas."

Dauri, você sempre, sempre, sempre...me faz pensar, sentir, escrever, reescrever...

Que ao interligar caminhos eu possa ir e vir....aprendendo a colher flores, a pular as pedras...

abraço

Wellington Felix disse...

Acho que afinal os poétas são seres sozinhos, mas são capazes de encontrar nessa solidão o vislumbre da vida, universos de sentimentos em raiares e poentes, silencios e sons nas violas enluaradas, afinal nas profusões de imagens dos seu versos, racham-se velhos muros deixando entrar pura luz nestas frestas, e há entre nós seres humanos maneira mais pura de amar ? , do que as que voce projeta em prosa, versos e poemas
Amo os sentimentos que seus escritos despertam, Despertam os mortos, os vivos!
Que dentre os amores e a solidão te reste dias de mais poesia, pois essa é a sua magia de amar a vida e o amor...Ja sabes andar menino gigante, agora pula n'agua ou abre as asas, pois voce tambem ja sabe voar!

Gabi Magnani disse...

Adorei, como sempre. Você deveria publicar um livro com todas as suas poesias, daria muito certo, tenho certeza. :D

Dauri Batisti disse...

Minha querida Gabi,

eu sou um não-poeta. Livro? Estamos entrando num novo tempo, completamente louco e diferente. Maravilhoso ao mesmo tempo. Um não-poeta Publicar livro?

Obrigado pelo carinho.

Beijo.