08 fevereiro 2009

VI

257489 1386691, 10 98381
2u7489 s386691, 1i 983e1
2u74r9 1te6691, si p83e1
nu74r9 1tel691, si po38s
2umer9 stel66a1, si 9otes
Numera stel6as, si potes
Numera stellas, si potes

(...)

193574 3´73580 2133569
193574 3´73580 21m3569
193574 3´73580 21me569
193s74 3´73580 2ume569
193si4 3´735b0 num35a9
19es7a 3´7e58o numer69
P93sia 3´ve58o numer69
1oesia 3´verb0 numer6l
Poesia é verbo numeral

(...?)

0367 8´ 6 2676436?
0367 8´ 6 26764r6?
0367 8´ 6 26764ra?
0367 8´ 6 p676vr6?
0u6l 8´ 6 pal64ra?
Qu6l 8´ 6 palav3a?
Qual é a palavra?

(...!)

9 7936 4914 254 0308
9 n936 49d4 254 030r
9 n93e 49de s54 a30r
9 7ome p9de s5r a3ar
O nome pode ser amar

(

18 comentários:

Rosemeri Sirnes disse...

Os números ficam tão simpáticos quando transformados em palavra. Vendo o seu poema penso na possibilidade de se tirar leite de pedra.

Beijão

Artista Maldito disse...

Olá Dauri

Li o poema nos dois sentidos e em demanda de uma resposta à interrogação.

No acto da criação a palavra ausente surge de um todo abstracto, na unidade da poesia.

Um beijinho,
Isabel

Tatiana disse...

Bom dia Dauri...

(...?!)

O nome pode ser amar... Então que seja um amor puro!

Que essa seja uma semana rica em realizações para o seu belo coração!

Um abraço carinhoso

Chopper wallpaper disse...

happy valentine!

paula barros disse...

Me lembrei de Ítalo Calvino quando ele fala da leveza do texto, do entendimento, e compara com a leveza da vida.

Um amigo tinha me indicado um livro dele, no mesmo dia você falou dele num blog. Estou com dois para ler.

abraços

Germano Xavier disse...

Ou você está ficando doido ou você é poetamaduro, Dauri. Eu fico com as duas alternativas. Venho aqui e admiro sempre.

Convido você a conhecer meu novo blog. Só prosa de ficção.

www.saocentaurososmeuscavalos.blogspot.com

Abraço forte.
Continuemos...

Germano Xavier disse...

Ou você está ficando doido ou você é poetamaduro, Dauri. Eu fico com as duas alternativas. Venho aqui e admiro sempre.

Convido você a conhecer meu novo blog. Só prosa de ficção.

www.saocentaurososmeuscavalos.blogspot.com

Abraço forte.
Continuemos...

Mai disse...

uma vez eu li numa crítica aos poetas que poemas mentiam porque 'enfeitavam' de belo e numa estética 'cor de rosa' falava de um mundo irreal. Algo assim...
Depois li que os poemas seguiam uma métrica e que a cabala estava por trás de tudo que dominasse os mistérios dessa linguagem 'numérica' escreveria poemas fortes.
Não gostas de rimas.
Não desejas ser poeta e o que vejo aqui e já te disse o que escreves é 'out'... E fora de padrões e métricas, mesmo e acho bárbaro teus ensaios e essas palavras.
Nalguns apenas sinto.
Noutros sinto o desejo de expressar.
Como agora.
Essa desconstrução quebra toda a estética dos poemas e joga luz numa espécie de métrica alfanumérico e sobressai palavras 'comuns' nos poemas e elas se sobressaem mesmo.

Como se aquilo que os números expressos não na métrica que subjaz nas palavras mas os numerais expressamente grafados.
E, estranhamente ai mesmo é que a palavra se destaca.

Interessante.Muito. Gosto disso. Do que não é óbvio, do que descontrói o padrão. Gosto sim.

Não há flores nem doce-mel nem o costumeiro tom rosado dos poemas mais comuns
mas destaca-se AMOR....


...

Dois Rios disse...

Querido Dauri,

Quando os poetas soltam os seus versos ao vento, eles passam a ser de quem os lê.

De que valem então palavras legíveis se elas tocarão cada leitor de um jeito peculiar?

A descontrução dos versos talvez seja o caminho de cada um.

Beijo,

Inês

Vivian disse...

...se alma está para entender
o poema.
entendido está.

senão...

bjus, poeta

paula barros disse...

O amor embala palavras e números.

Por onde você passa sinto cheiro de amor.

obrigada pelo comentário e pela força.

beijo

Gabriela Magnani disse...

Quando o número se envolve com palavras, com certeza, fica bem mais interessante. Você tem muita criatividade.

Jo Bittencourt disse...

ah seu traquinas! bendita simultaneidade, já aguardo os poemequações...



beijos

Carolina; respira-me disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carolina; respira-me disse...

Não sei porque nunca me simpatizo com os números. Se eu ler 9 é 9! Que mistério há nisso? Já se eu ler 'NOVE', é nove o quê? Vou correndo tentar descobrir.
Mas adorei seu poema!É de uma beleza que só...!
Poema é poema até com números arrogantes!
:D

Beijos! :*

Germano Xavier disse...

Passando e relembrando...

Abraço forte, Dauri.
Continuemos...

Tiago Soarez disse...

Como é bom passar aqui.

Sabe... sempre fui fã de números. Gosto deles, a forma me encanta. Especialmente os números 3 e 7 me agradam bastante. Vindo aqui e vendo isso fiquei impressionado com a sua versatilidade. Parabéns sempre!

Ah... não posso deixar de dizer que gostei muito da lista das personagens que você colocou aí do lado. Todos são ótimas fontes de inspiração.

Saudades,

Abraço

Camilaaa disse...

Sou fã de números, mas confesso que nunca os vi desta maneira.
Gostei muito.

Beijos