25 janeiro 2009

(quarto poemeto da série umas coisas jogarão luz nas outras)

As partículas das coisas reagem ao olhar.
Há entre as coisas do olhar e o olhar das coisas
um laço azul de amor espiritual,
ou um vermelho vínculo de amor carnal.
Mas há. Há qualquer coisa em nós
que nos faz amar as coisas mesmas.
Quando desperto dos sonhos
me vejo mais coisa do que antes,
e fico em dúvida entre me alegrar e me entristecer.
Sei lá! Sei lá é não saber aqui.
Sei lá será um saber distante, longe, longe
que ainda coisa alguma é? Chegarei lá para saber?
Sei lá! Com as coisas assumo algumas das minhas incoerências,
nelas garimpo algumas das minhas poesias perdidas.

6 comentários:

Rosani Nauar disse...

Olá!Dauri

Nas minhas andaças pelos blogs, encontrei essa sua poesia linda, e a emoção tomo conta de mim, amor é um laço azul e outras vezes vermelho carnal! Parabéns


beijos

Sarah Vervloet. disse...

"Sei lá é não saber aqui". Gostei disso... vou pegar emprestado algumas vezes daqui pra frente. Se me perguntarem da onde tirei isso, direi que foi um grande poeta que disse.

Gostei e voltei para te ler novamente.

abraço.

Mai disse...

...eu gosto dessa dualidade e dos opostos de sombra e luz onde um joga ao outro...
Gosto do que leio e de como arranjas.
Gosto do que sinto quando leio.
Gosto do que entendo porque para mim faz um sentido e ilumina não apenas coisas...
Sei lá, que me dá.
Sei lá!

...

Cosmunicando disse...

normalmente as coisas não recebem o mesmo valor dos seres... mas esse poema resgata o 'ser' das coisas... gostei muito =)
beijos

Oliver Pickwick disse...

Para a luz, não há saber distante. De igual modo não há limites para a sua imaginação poética.
Um abraço!

paula barros disse...

"Há qualquer coisa em nós
que nos faz amar as coisas mesmas"

Sinto isso. As vezes um amor espiritual, que me transcende, puro, ingênuo.Por vezes um amor carnal.

Há coisas em mim que não entendo as coisas que me fazem sentir coisas.

O escrever me faz escrever essas coisas. E descobrir mais coisas. Em busca de me libertar e ver poesia me mim e na vida.


boa semana!