23 dezembro 2008

Quando as estradas, it is in my eyes,
me reclamam os passos
e os campos me convidam às andanças
uma ânsia nova se avizinha, eu sei, está en mis ojos,
mesmo que as antigas ainda rolem ao meu redor
como folhas secas de feitiços e maldições.
它在我的眼睛. O que avisto no deserto
é o que me desatina nos pés
a aflição de estradas, estradas, estradas.
Enxergo sangue flamboyant derramado
por todas as ruas, nas praias, nos morros
no desterro, na agonia, sem fim.Terra.
Terra da violência. Árvores e homens
tombam. Números assustadores,
um dia depois do outro. Sem estancar.
Tomba-se, tomba-se, tomba-se,
brado retumbante, baque, sangue,
flores de flamboyant, nossos campos
tem mais fogo, fogo, queimam tudo.
Não está nas estradas, eu sei,
está nos meus olhos o que eu não consigo,
por detrás deste ofuscamento de ver,
Il est nous mes yeux. Preciso ver um sinal,
flamboyant por todos as paisagens,
galhos dobrados sobre os muros.
É esta ceguidade para os sinais,
それは私の目にある,
que me impede as esperanças.
Onde o que me cura, o que me ensina a ver?
È nei miei occhi. Onde o mago, o ungüento,
o óleo de peixe, a flâmula, a estrela, o cometa?
Rabboni, ut videam.
Padrone, desidero vedere.
سيد, يريد أنا أن يرى.
Master, I want to see.
Maître, je veux voir.
Κύριος, θέλω να δω.
Meister, möchte ich sehen.
주인, 나는 보고 싶다.
Оригинал, я хочу увидеть.
Amo, deseo ver.

15 comentários:

Anônimo disse...

"pode cair mil ao teu lado, e dez mil à tua direita, que tu não serás atingido!" lido por aí.
voce sabe onde está o refúgio.
bj

Tentativas Poemáticas disse...

Caro amigo Dauri
Muito obrigado pela visita.
Também desejo o melhor para si.
Um grande abraço.
António

paula barros disse...

Penso que as vezes também tenho um desatino nos pés...

"Não está nas estradas, eu sei,
está nos meus olhos o que eu não consigo por detrás deste ofuscamento de ver"

As vezes ao ler o que você escreve é bom porque vejo que tem alguém que pensa em algo parecido.

abraços, bom natal.

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Ah meu amigo,
Como me lembro das cartas! Elas marcaram toda a minha vida... ainda escrevo cartas para ninguém! Talvez um dia...

Obrigada pela presença, pelas palavras, pelo carinho!
Feliz Natal!
Que venha 2009!
beijo

fred disse...

Aqui, acompanhando, sempre e aproveitando para desejar-te um Feliz Natal.
Grande abraço

Miguel Barroso disse...

Que delícia!


Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

tossan disse...

Muito bonito Dauri, profundo como é o teu estilo. Boas Festas e seja muito feliz. Abraço

JOICE WORM disse...

Viche!
Não entendi nada.. hahahha...
Mas um Natal a gargalhar como o Pai Natal: Hohohoho... é o máximo.
Adoro-te, Dauri!
Bem haja!
FELIZ NATAL!

Branca disse...

Você tem um estilo bem peculiar ao escrever, mas eu gosto muito.
Bom Natal pra ti,
bjo carinhoso,
Branca.

Cosmunicando disse...

Dauri, passando pra desejar boas festas e um ótimo 2009.
beijos

Di disse...

Quer ver motivos pra escrever palavras mais leves? Talvez.

Boas festas, viu?
Agradeço sua companhia e suas palavras no meu blog.

Loba disse...

Ah poeta, os sinais moram dentro de nós. E é dentro de nós que crescem os flamboyants que se espalham florindo nossas emoções!
Meu querido, obrigada pelo carinho e pela presença gratuita nos ultimos dias em que estive ausente. Obrigada por ter colocado Poesia nos meus intervalos, fazendo-os auspiciosos.
Meu desejo é que as luzes de Natal iluminem seus caminhos em todos os dias de 2009 e que possamos continuar a caminhar juntos!
Um grande beijo e ótimas festas!

Germano Xavier disse...

Professor,

devo lhe dizer que muito estou a aprender com tuas margens poéticas. Sempre gostei mais de poesia que de prosa, e o teu recanto é um poço de versos inatingíveis, posto de uma beleza grande. E fiquei feliz ao saber de teu amor por Jack Kerouac, ícone de um tempo onde ainda podeíamos sonhar sem pressa. A semelhança é deveras veraz, ainda mais quando do amor à palavra analisamos.

Um feliz natal, cheio de versos e verbos.

Continuemos...

Plinio Uhl disse...

Que todas as línguas ouçam, que todas as estradas se encontrem e que todos os mistérios se abram.

Um feliz natal para você, meu amigo.

Eurico disse...

Ufffa!!! E eu, Mestre, que não só desejo ver, como tocar... São Tomé, das Letras. rsrsrs
Venho te reler nessas séries, irmão do Espírito Santo...
E pasmo, diante deste poema!

Deixo-te um abraço compungido, mas, fraterno.