30 dezembro 2008

Penso, o que viajo é o amor, ele me vai definindo,
me construindo das velocidades do que passa
por mim e em mim. Não sei, todavia, se me vejo bem,
e se me reconheço nos caminhos que faço.
Encontrar-me-ei feliz a cada dia em seu olhar?
Traduzo-me das minhas dúvidas pelas canções que ouço,
separo-me parte por parte para me clarear... e não me entendo.
Na nossa hora a luz sairá pelos olhos, acredito,
e naquela fração, há uma chance, mostrar-me-ei nu e puro.

Avisto na vastidão da noite um posto de gasolina.
Ouço “Every breath you take”.

5 comentários:

Artista Maldito disse...

Olá Dauri

Vamos então seguindo ao som de uma música e da suave descoberta na luz dos olhos que da fundura da alma ascende.

DESEJO-LHE UM FIM DE ANO ESPECTACULAR,
UM NOVO ANO TRANSBORDANTE
DE ALEGRIAS.

Beijinho com carinho
Isabel

Mai disse...

Bem, dauri.

Respiro... E, em toda respiração me sinto, inteira e, cada vez, mais viva.
Jamais pensei partes de alguém que viaja, pelos caminhos da vida, em busca de aventuras ou mesmo de se encontrar.
Este personagem ou estes personagens, ou mesmo nós, em nossas viagens - pé-na-estrada, ou autoconhecimento, vamos sendo... vamos caminhando... vamos pelejando... vamos amando e ouvindo músicas e sons da natureza.

Querido, que as partes de nós, que buscamos conhecer para n0s conectarmos, com uma maior sintonia, nos esteja ali mesmo, em uma dessas curvas quaisquer de uma dessas estradas.

Carinho.

FERNANDA & POEMAS disse...

Querido Dauri, adorei o teu poema, como sei que não gostas de poesia com rima deixo-te aqui um enderesso de um blogue que tenho, com poesia sem rima, gostaria de saber a tua opinião;

triptico-poemas.blogspot.com

Desde já agradeço do coração...
Um grande abrço de carinho e ternura,
Fernandinha

FRANCYELLE FERNANDES disse...

traduza sua vida nos seus sonhos, eles são vontades de sua alma. Feliz ano novo

Eurico disse...

Venho só pra te deixar o meu abraçamigo. Nessa época fico meio esvaziado, fico assim feito o casulo ôco de uma borboleta que se partiu. Mas é um vazio produtivo e tempestivo. Pois, "trinta raios tem a roda, mas só o vazio do seu centro, permite o movimento". Bem ,acho que é mais ou menos essa a frase do Tao. Perguntemos à Mai...
Abraçamigo e fraterno.