11 dezembro 2008

(Aí estão mais algumas das minhas DESCONEXAS HORAS)

VII.
O monte Mestre Álvaro azulado
lavado e bem lavado pela chuva de dias
com os olhos limpos arregalados me alcançou
e sorrindo me disse, nada melhor do que dirigir
pela ponte no vão central bem no alto
ouvindo velhas músicas do Be Gees.

VIII.
Poemas pintados em livros a se vender
é maldade. Tão caros! Poemas são quedas,
escorregões em barrancos molhados.
Não se tinge em papel,
se fica enlameado.

IX.
A porta estava aberta
e o besouro se adentrou por ela.
Trouxe verdes, cheiros e brilhos.
O amor agradeceu e lhe deu uma flor
com quatro pétalas,
o nobre quarto de hóspedes,
e na cabeceira um livro de Hilda Hilst.

Hora extra
Um anjo ou outro ser assim
esparramou-se numa manhã de sol
caindo em dobras sobre o mais fundo azul da alma
e ali derramou um calmante, a afirmação:
exatamente agora, nesta hora
alguém pode ser feliz.

13 comentários:

Alex Sens disse...

gostei muito das horas extras, e desse nome utilizado para elas :)

apêndices, horas extras, tudo balança e faz sonhar.

abração!

Alex Sens disse...

gostei muito das horas extras, e desse nome utilizado para elas :)

apêndices, horas extras, tudo balança e faz sonhar.

abração!

intimidades disse...

lindos, para se ler e ficar a contemplar

Jokas

Paula

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Dauri, lindo como sempre Amigo... Gostei!... Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

Mai disse...

Dauri, tu me alcançaste, e tenho meus olhos turvos e semi-serrados...

"Se eu disser que o desejo é eternidade, porque o instante arde interminável, deverias crer?
E se não for verdade, tantos o disseram que talvez, possa ser"
H. Hilst

E simples assim, é tudo isto.

Carinho, sempre.

Thiago Laurentini disse...

Ficou muito legal, principalmente a hora extra. Você está de parabéns!

fred disse...

Ótimo, Dauri, e, de fato, é sempre bom ouvir velhas músicas do Be Gees.

Abração

Letícia disse...

Leio agora suas desconexas horas e sim, alguém pode ser feliz após ler seu poema. Não é clichê. É que não sou muito de poemas. Mas dos poucos blogs que visito, seus poemas são bons pra mim. Aliás, eu gosto de ler o que você escreve.

É isso.
Um abraço.

Jéssica disse...

Caramba, esse último realmente me emocionou. Lindo demais, demais, demais *-*

Porque um anjo desse não vem esparramar-se e cair dentro do mar daqui do norte? :(

;**

Rosemeri Sirnes disse...

Caro poeta Dauri, serei redundante, você não me dá outra opção. Lindo, lindo, lindo demais!As minhas passagens por aqui são sempre felizes, essas águas, essas pontes me levam a lugares que nunca imaginei. Obrigada pela porta aberta.

Beijos

Germano Xavier disse...

Dauri,

também adotarei teu espaço e o porei junto ao meu Clube, porque venho aqui e vejo poesia séria, cometida com responsabilidade e feita com afinco.

Um abraço forte.
Continuemos...

Camilla Tebet disse...

Qto ao seu comentário: essa coisa de curvas e retas me encantou. Reli meu texto e saio pensando em curvas e retas. Ainda perdida, mas pensando. Meninos e meninas, curvas e retas. Bela análise.

João da Silva disse...

Dauri, meu caro, você brinca com as palavras com tanta facilidade, que nos embevece. É o velho e bom filósofo a versejar, trovador e profundo.
Abraços fortes de seu admirador, o João