07 novembro 2008

Encontrando o remédio
(encerrando os poemas do curador)

Salto, esperto, desperto,
amanheço atrasado e escondido
sobre o olho que me viu com a onça.
Rasgo com a lança o círculo no chão
repartindo o centro da flor em pedaços,
a flor do olho, o espaço em quatro
e sobre cada quarto eu permito que o sol
me chame a atenção, a coragem, o ânimo
e levante meus pés para a dança.
Um quarto do olho me enche de ipê-amor,
a outra parte da flor me angico-purifica,
o outro quarto me abre para novo copaíba-saber,
o último me confirma, me altera, me revela
o espírito urucum vermelho nas mãos e um,
um vento, um cheiro, um tambor por dentro que diz:
o que chora, o que se agita ainda espera por ti,
já é hora, volta, volta onça correndo homem,
antes que te esqueças a ternura e a quentura
da fonte que correu para a tua mão. Cura!

18 comentários:

João da Silva disse...

Lindo esse seu "canto do piaga", Dauri... é um big-bang poético.
Abraços fraternos do João!

Jacinta Dantas disse...

Flores
ipê,angico,copaíba,urucum
Flores
amor, purificação, saber, auto-revelação.
Flores
ternura, alegria, confiança, espelho.
Flores
Cura...Vida...Saúde...Vida.

Beijo

Octavio Roggiero Neto disse...

lendo este poema tive a estranha sensação de estar presenciando um primitivo sentimento de quando o mundo ainda respeitava o mistério.

abraço com braço de elástico, Dauri!

Artista Maldito disse...

Carissimo Dauri

Um acto mágico perdido nos tempos, que remete para a alegria profana, foi o que senti neste poema. A imagem do círculo desenhado é soberbo.

Um beijo
Isabel

Marcos Campos disse...

Cara, que legal isso!!!
Integração sentimento-natureza...tudo a ver!!
Gde abraço!!!

Oliver Pickwick disse...

Brasileirística trilogia. Poderia ser escrita por um Saci; uma Caipora; um Matita Perê; e até por um lobisomem. Ou, pelo poeta conhecedor de segredos seculares destas criaturas encantadas.
Um abraço!

Recanto de Sonhos disse...

Buscava o remédio já sabendo onde encontrá-lo.
Excelentes os seus poemas,Dauri.
Excelente o seu blog.
Obrigado pela visita ao recanto e pelas palavras lá deixadas.
Um abraço.

eder ribeiro disse...

o que é interessante nestes teus eus personagens é que nos encontramos com a poesia e somos surpreendido. abçs

Tentativas Poemáticas disse...

Amigo Dauri
Magnífico este seu poema. Aliás, como sempre!
Vim desejar-lhe um óptimo fim-de-semana.
Um grande abraço.
António

Alex Sens disse...

Chega a ser selvagem, virgem, de tão bom! =)

Boa semana, Dauri!

Jo Bittencourt disse...

Hum, quantas produções?! Gostei muito dessa proposta e ainda mais desse, será mesmo o último da série?

Dauri, a fonte correu para tuas mãos.

;^D

beijos

Opuntia disse...

Há algum tempo, escrevi sobre os ipês. Eles são encantadores. Ler o seu texto foi como voltar ao meu.

alvarêz drewïzqe disse...

cara, você domina as palavras. poesia de primeira!

tossan disse...

Traduziu muito pra mim não só o coração do curador mas um pouquinho da alma. Abraço

lyani disse...

"amanheço atrasado e escondido"
Eu também!
Bjos

Leandro Jardim disse...

uau, um belo poema-delírio! surpreendente!

abs
Jardim

Leandro Jardim disse...

opa, agora leio o comentário ao lado e melhor entendo as nuances :)

Plinio Uhl disse...

"a paz que não tenho, só é paz nos meus passos". trilogia perfeita do início ao fim.