10 outubro 2008

Lágrimas abafadas

Caiu sobre o porto uma nuvem escura,
na imaginação um mar avoluma suas ondas,
porcos de uma alta barreira se lançam, assombro,
as bolsas nas capitais do mundo despencam,
águas espumosas ouvem seus baques em pedras vermelhas.
Os navios ancorados se avistam pelas luzes sobre as águas
como se um feiticeiro tivesse destravado cadeados de livros
e topázios de poesias emergissem enflorecidos de planta marinha
realizando recalcado desejo de crescer sobre os mares.
Estranho, a sedução das sombras em belezas raras
para quem se entorpece com o azul e a luz
do mundo que gira em empenadas rodas nos trópicos.
O dia fechado logo cedo, a sombra, o trabalho esperando
me lançam do porto este poema de sustos,
dirijo sozinho pensando em você, no que poderemos fazer
com a nossa felicidade. Como lhe peço para voltar?
Luzes dos navios de dia, topázios de poesia,
a mente voando. Christ, send-me the right word.
I confess, “I’m so tired of being alone”.
Dói o que espontânea e vagamente recordo.
No youtube encontro e canto, “I’m so tired of being alone;
I’m so tired of on my own”.
Caiu nuvem escura e ainda não chove para desaguar de vez
– chove, chove, pelo amor de Deus – sobre o porto estas águas.
“Won’t you help-me, girl”.

11 comentários:

Opuntia disse...

"Pensar no que fazer com a felicidade"... Lindo texto.

Maria Helena disse...

As ondas gigantes do mundo dominante(oriente ou ocidente)podem quebrar as bolsas mas não levam o
nosso passarinho verde.Somos o porto.
Abraços
Maria Helena

Plinio Uhl disse...

sempre bom ancorar aqui.

abs!

mundo azul disse...

...devaneios! Como pedir ao amor que volte? Sendo o mais claro possível...


Beijos de luz e um final de semana especial, meu amigo!!!

João da Silva disse...

Dauri, que dizer desta sua narrativa magnífica? Vou ser absolutamente sincero: o maior elogio que já recebi, de uma amiga-irmã muito querida, foi tê-la ouvido dizer que minha sensibilidade é feminina. Acho que vou repassar-lhe este elogio alcandorado.
Enorme abraço!

Artista Maldito disse...

Carissimo Poeta Dauri Batisti
Ah como compreendo esse apelo, será que Deus ficará tão indiferente, tão ausente, será que já esqueceu que por Sua culpa nem mesmo a chuva abatendo-se sobre esse mar sedento, revolto no fundo de um chamamento, traz de volta o eco de um bater forte, out-of-any-argument...
Ela voltará, sempre, another girl(perhaps)...
Um beijinho de uma portuguesa muito maldita!
Isabel

Jéssica disse...

Achei triste. Era pra ser?

Enfim, lindo do mesmo jeito :D

;**

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Oi querido
Sua série sobre o Porto está fantástica! É um dos "meus pontos"...
Um dos motivos para eu querer tanto o "nosso café" é poder entregar-lhes meus livros, inclusive este, de Vitória, onde, entre outros lugares, abordo o Porto...
No meu livro eu cito o Francisco Aurélio que disse: Dizem... que as três baías mais belas do mundo são as do Rio de Janeiro, Hong Kong e Sydney. As duas primeiras eu conheço. São realmente bonitas e grandiosas. Mas eles que fiquem com as deles. Eu é que não troco Vitória e seus navios por nenhuma delas".
No que eu completo: "concordo em gênero, número e grau".
beijos e vamos ver se esse café sai...

eder ribeiro disse...

li todos os poemas, e tanto as fotos como os poemas é de nos chegar à alma uma vontade de aportar em vitória. abçs.

Jacinta Dantas disse...

Vou acompanhando sua série em torno do porto. Esse, não pergunte por qual motivo, faz-me lembrar as inquietações que eu, ainda bem menina, pensava ver nos olhos do meu pai, quando aqui chegamos.
É...
penso que divaguei.
Beijo

PS: Cito vc e o essapalavra no meu post de ontem

John Doe disse...

acho que me afundo em minhas paredes azuis para evitar pensar nessas palavras que sempre me faltam...