19 outubro 2008

Endiecendo

Bondade tua em querer ir adiante no escuro comigo.
Nos passos me ensinas a ver as faíscas do meu próprio nome.
Na poesia me colocas a carne e o sangue de ser límpido
e me incitas à convicção de ser diverso logo mais, ser dia.
Ah, mistérios e viagens de pássaros e espíritos,
sopros iluminados em brunos salões e cavernas.

Tu me convocas a fazer o coração e as vistas, dia;
os pés e as mãos, dia; as tripas e os sonhos, dia.
Estou endiecendo por bondade tua. Já me alvoreço.
Oficiarei a sagrada dança do este ao ocaso, horizontes de abraços.
Me destrevei. Nem que seja só agora, enquanto escrevo...
(o que só é... um pretexto do prazer, nada mais).

7 comentários:

Opuntia disse...

A poesia tem o poder de nos endiecer ou anoitecer, depende de cada momento ou das nossas preferências.

Texto original, gostei.

Bjo

Sarah Vervloet. disse...

Sempre tem alguém que torna nossas noites, dias.

Não estou muito inspirada nesses dias, meu caro. Por isso, o sumiço. ( que na verdade é mentiroso pelo fato de eu estar aqui sempre, mas sempre no escuro...)

Iana disse...

É muito simples ganhou mais uma pessoa para admirar suas escritas belíssimas...

"A amizade não está no rosto onde
muitos procuram, mas sim no
coração onde poucos encontram."

Beijos doces e trago rosas para perfumar seu cantinho especial
receba é com carinho que as deixo-te

Iana!!!

poetriz disse...

Bondade tua em querer ir adiante no escuro comigo.
Assim, passo a passo nós descobrimos pra que servem as pernas e os pés.
Tropeço a tropeço descobrimos por que as mãos tateiam.
Bondade tua, incitar esse pensamento em mim...

Artista Maldito disse...

Carissimo Poeta Dauri

Da bondade de um eu "outro", que o incita, que o convoca de dentro do poema, onde cada um que o lê procura encontrar tão leve desprender: o eu do poema se transforma nesse mesmo prazer.

Com muita amizade
Isabel

Vivian disse...

...benditos os momentos em que o poeta se faz dia, e assim trás com ele o sol dos melhores sentimentos.

bjus

Jacinta Dantas disse...

"destrevar-se", deixar-se envolver pela luz, com tudo..."olhos, coração, víscera..." no poder de endiecer.
Viva o dia!
Viva a sensibilidade de tornar-se poesia, endiecendo.
Beijo