19 agosto 2008

Ele voltava da festa,
assaltado com os amigos,
se apavorou, demorou para entregar o carro
e levou um tiro. Um tiro na nuca.
Um frio na espinha.
Os olhos se cobriram de nuvens.
Não se viu mais o coroa de luzes
na curva da ponte
nem no alto o santuário.
O sonho de todos os tempos passados
de todos os astros e fogos
condensados naquela vida
acabou. Agora tu
que te encontras comigo pelo olhar
nesta história que conto
terás que andar com mais esta dor.
Isto não tem poesia.

6 comentários:

maria helena disse...

Condoer-se é um sentimento que vem de Deus ;e se vem dEle ,este sentir é belo.Não o aontecimento, mas o que ele provoca no âmago de nossa alma:a solideriedade,misericórdia,oração.
Expressou sua dor ao esccrever...
Maria Helena

Elcio Tuiribepi disse...

OLá amigo, confesso, a frase final me deu um arrepi...sem mais palavras...Bom dia!

mundo azul disse...

...muito triste! Com certeza, não há poesia...


Beijos de luz e o meu carinho!!!

Graziele Alencar disse...

Não tem poesia, não tem graça, mas é a vida, infelizmente.
Beijos.

Jacinta Dantas disse...

"...andar com mais essa dor..."
doído isso.
Beijo

Camilla Tebet disse...

ô se tem poesia! ela se construiu nas suas linhas, na história que contou. Pena que levou um tiro da história, logo no começo do final.