10 julho 2008

Vago e incerto propósito

Me levar de volta
- é um vago e incerto propósito –
senão a mim mesmo,
(não sei bem onde me encontro)
pelo menos à minha pele, ao meu peito,
que sobe e desce comovido
pela ânsia e pelo vento úmido e quente.
Então, suponho,
me descobrirei em arejados espaços vazios
e em estranhos universos cheios.

Me levar de volta
- é um vago e incerto propósito –
por um fugaz vôo em curvas e planos
fechando os olhos embriagados
para tatear pensamentos
(os audaciosos e os tímidos)
e pousar beatificamente a mão sobre o peito.
Então, suponho,
me descobrirei em vontades de amor grande
e em estranhos pequenos desejos.

Me levar de volta
- é um vago e incerto propósito –
e seguir sem pressa
as linhas e vincos,
as rugas e cortes não tão cicatrizados,
num memorial caminho silencioso,
só para sentir o sagrado pulsar das veias.
Então, suponho,
me descobrirei em fluxos poderosos de vida
e em estranhos arcanos e medos.

11 comentários:

John Doe disse...

isso supondo que algum dia iremos nos descobrir...

Graziele Alencar disse...

Ás vezes, para seguir, é preciso levar-se de volta aonde ficaram os sonhos perdidos, as feridas mal cicatrizadas, a vontade de.
Talvez o propósito necessite de precisão e de certeza.
Boa sorte com a volta, mas lembre-se de que o objetivo é seguir em frente!
Beijos.

Dauri Batisti disse...

Graziele, obrigado pelo comentário, mas como o que escrevo é ficção que inclui a construção de um personagem, "passarei" para ele os seus desejos de boa sorte na volta, e, quem sabe, isto venha a render um novo poema.

Joe, é verdade... somos horizontes que sempre estão mais além.

Jorge Cardoso disse...

gostei muito do que vi por aqui...
voltarei con certeza!

Abraço C/ CArimbo...

Jacinta Dantas disse...

"me descobrirei em arejados espaços vazios e em estranhos universos cheios; em vontades de amor grande
e em estranhos pequenos desejos;em fluxos poderosos de vida e em estranhos arcanos e medos".
Me descobrirei na contradição?

R Lima disse...

E onde de fato a luz permeiará minha alma? Onde a fulgáz ironia me dirá verdades? Onde me levará ao bem maior?

Verdades e teoremas de um sem sentido.

Abçs e,




Venha ler AMANHÃ, dia 12, um texto em comemoração a data.. lá no AveSSo.


Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Carlos disse...

e os propósitos serão certos?
a vida é um constante rodopio de certezas e incertezas de voltas e de regressos..,agora descobrir a nossa essência , sim é necessário, ( digo eu ).

Poderoso este texto.

Abraço

eder ribeiro disse...

e essa descoberta só é possível realmente voltando a si. perfeito e completo a tua poesia com verso forte . abçs.

Rico B. disse...

me levar de volta ou me trazer novamente. algo como aguardar o dia que possamos voltar a nós mesmos. bem legal receber suas visitas.

Wellington Felix disse...

Vou adentrando esse blog, e descobrindo uma busca em tudo e nesta busca desenfreada por respostas encontro mais perguntas, encontro a alma humana, em voos e pousos sentimentos e contadições, espiritos opressos e amantes, sim encontro um grande poeta, encontro poesia em tudo
Parabens Poeta

mundo azul disse...

...levar de volta... Não é muito fácil, não! Felizes os que conseguem voltar ao princípio...

Belo e reflexivo poema!

Beijos de luz e o meu carinho...