28 fevereiro 2008

Esferas de vidro

As dores são esferas de vidro
que rolam conforme o dia.

As esferas de vidro são dias
que correm de acordo com a sorte.

Os dias são sortes
que se lançam seguindo a lua.

As sortes são luas
que crescem sob a luz dos sonhos.

As luas são sonhos
que também já foram dores.

Os sonhos são dores
que reluzem como esferas de vidro.

As dores são esferas...

14 comentários:

Germano V. Xavier disse...

Olá!

Passei por aqui...
Gostei do blog!

Abraços pernambucambaianos...

Germano
www.clubedecarteado.blogspot.com

Juliana Caribé disse...

Não deveria ser tão difícil rolá-las, então...

Dauri Batisti disse...

Querida Juliana,

Depende para onde elas rolam e de que modo rolam. As vezes elas rolam todas para o mesmo lado, pesando pra caramba. Outros dias elas ficam paradas como se fossem de chumbo. Também podem girar, girar, girar gerando um desassossego danado. Há ainda dias em que elas são gosmentas. Rs.
Elas escapolem das mãos, não se prestam aos jogos de malabares.
Pergunto: Há nelas um colorido que se pode descobrir?

Luci disse...

Muito profunfo isso... Esferas de vidro, que podem quebrar-se, não é mesmo... e machucar...

Dauri Batisti disse...

É Luci... podem sim.
Mas podem tambem dar o tilintar da voz e o brilho do olhar de cada um. Além de manter o espírito de criança sempre vivo no coração onde elas rolam.

Elcio Tuiribepi disse...

Este é o segredo, manter o espírito da criança que existe dentro de nós...um abraço e bom fim de semana

R Lima disse...

Quais as dores que nos limita.. quais os "ais" que nos redime??

Seja como for a dor é a certa inconstância do Amor.

Abçs meu caro,.



Texto de hoje: tUdo oU nAda...

Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Capitão Ócio disse...

Nossa sorte
está em sonhar com a lua,
em ter a luz,
em ter o dia,
em caminhar sobre as esferas
de vidro,
que causam dor,
quanto se está vivo.

Braços!

PS: Agradecemos sua visita ao nosso blog. Apareça mais!

Célia de Lima disse...

Luas de dores que já foram sonhos... Sonhos de luas que já foram dores. Esfera a vida, vidram os dias, em dores, em sonhos. Ahhh.. adoro esses poemas que me fazem viajar. Um prazer te ler, Dauri. Beijos e bom domingo.

Lúcia Elena disse...

Dauri vivemos num movimento às vezes cíclico da vida, ora dor, ora alegria! È preciso atenção para que possamos chegar ou retornar a alegria e plenitude que constituem nossa essência.
Abraços,
Lúcia elena

F. S. Júnior disse...

muito bom... me dá aquela sensação do eterno retorno... vc acredita em sorte?

Dauri Batisti disse...

JUNIOR,

você acertou na mosca. Eterno retorno.

Cada verso do poeminha é um círculo. O conjunto dos versos forma outro círculo. A ideia era fazer algo redondo sem começo, nem fim. Qualquer verso pode ser tomado como o primeiro.

Acreditar em sorte? não, não acredito. Prefiro pensar em cada um fazer o que pode, sem esperar pela sorte.

Mas é claro que a vida, através dos fatos e acontecimentos pode favorecer ou não uma pessoa. Todavia o favorecimento hoje também pode ser prejuízo amanhã.

veja como fica o poeminha começando com sorte:

As sortes são luas
que crescem sob a luz dos sonhos.

As luas são sonhos
que também já foram dores.

Os sonhos são dores
que reluzem como esferas de vidro.

As dores são esferas de vidro
que rolam conforme o dia.

As esferas de vidro são dias
que correm de acordo com a sorte.

Os dias são sortes
que se lançam seguindo a lua.

As sortes são luas...

Lá parecia que eu propunha uma reflexão sobre dores, aqui parece que eu proponho outra, sobre sorte. Pois o começo e o fim ficam como referências no poeminha lido em linha reta. ilusões.

Luiza disse...

O redondo não tem fim! Vai e volta...girando a vida.
Sonhos ontem, sorte hoje, dor amanhã.
Resta-nos tentar equilibrá-la para que ela não se quebre!

Abraços.

Héber Sales disse...

Olá, Dauri,
Obrigado pela visita. Gostei bastante do efeito de alguns deste versos.
Um abraço