14 novembro 2009

vertere seria ludo XIII

Tarde após tarde é o seguimento
de tentar desenhar casas
numa pradaria longe desabitada.
O franzido do sol caindo

sobre o olhar

evoca a matéria verbal
na qual se converterá
a luz do desenho. Além de que
entre outras regras

a ramagem da brincadeira

deverá atravessar o deserto.
Todavia, sabe-se, ele é demorado,
e o que se dá a encontrar ali será,
talvez, pela linha que se encaminha

pela esquerda da paisagem onde

ruas em luas crescentes
seguem pela noite de novas cidades
e depois avançam
pelos quadros de Escher.

9 comentários:

Joice Worm disse...

Deliciei-me com a música das suas palavras e debrucei-me para lhe dar um beijo na face, Dauri. Muuuac!

Vivian disse...

...tão bom quando podemos
desenhar a vida nos matizes
da poesia.

e você faz isso tão bem!!

deixo beijos

Betho disse...

Bela poesia...Bom final de semana Dauri...
Abraço
Betho

Germano Xavier disse...

Que somos, senão exímios construtores de abrigos de dores ou alegrias?

Continuemos, Dauri Jack...

Opuntia disse...

"A ramagem da brincadeira/ deverá atravessar o deserto". "Brincando de blog", atravessamos os desertos, os nossos e os dos outros.

Eu gosto muito dessa brincadeira séria, é lúdico.

Bjos

Priscila Lopes disse...

uau
que poema!

muito bom, Dauri.

Valéria C. disse...

há quem saiba fazer algo belo com suas ilusões... não sei se sei...
um abraço

Juliana disse...

Tava com saudade de ler poesia. E olha que beleza que encontro aqui. Tão sutil o emaranhado de palavras quanto o das linhas de Escher. E quem disse que a matemática e a arte estavam desligadas não o conhecia...rs

Abraço

paula barros disse...

"Além de que
entre outras regras
a ramagem da brincadeira
deverá atravessar o deserto."


Vim de manhã cedo, para me permitir pensar do jeito que gosto, me faz falta pensar no seu blog.

Fiquei pensando em alguns desertos que me habitam, desertos que habitam nós os seres humanos, os mais diversos desertos.

Os desertos ressecados, os desertos de muitas vozes.

E pensando assim, comecei a ver a ramagem se espalhando, atapetando o deserto, esverdeando a vastidão e podendo assim brotar belezas e edificar casas.



(rsrsr adoro brincar de pensar aqui, liga não, tá?)

beijos e sorrisos.