29 setembro 2009

(Encerrando a série de poemetos "...," )

...,

de falar se faz um campo,
se constrói uma casa,
e se vai por uma estrada.
Mas, de falar
se colhe o cansaço.
Vem o assombro de que
não falar
seria mais poético.
Nisto o universo é melhor:
de voz esvaziado, deserto.

5 comentários:

Mai disse...

Silos de poesia. Será que existe um, do tamanho do mundo?
Silenciosamente a natureza conspira em poesia.
E assim, falar, ouvir, calar, sentir, agir e viver nessa palavra.
sei lá...Beijos, amigo

Sandra Leite disse...

"Casa da palavra, onde o silêncio mora"

A poesia se faz quando ainda é pausa.

bjos

Juliano disse...

Talvez o silêncio, nunca me perdoe, por ter dito que te amo.

Abraços Dauri

Tatiane Trajano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tatiane Trajano disse...

E depois que te leio fico sem palavras, em silêncio... a sentir poesia!


beijos