03 agosto 2009

Um tempo foi
I’m going to.
Cantei enquanto ia
e... quando voltei,
o destino, esquerdo,
me atropelou no coração,
com um pensamento, o amor,
de não ir mais going to,
mas só ir go away.

(Ei... let’s go?)

5 comentários:

Mai disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mai disse...

Eu abro um sorriso e abro as asas, as duas em voo e engulo essa palavra com gosto.
I'm going too.

Beijo.

Ava disse...

Deixe apenas ehar os olhos e devanear...


Beijos!

paula barros disse...

Estás com preguiça de ler os blogs? Estou me sentindo vazia para comentar alguns que leio, me sentindo perdida, tentando arrumar as emoções. Como se pudesse fazer faxina nas mesmas. Jogar fora algumas, engavetar outras. Valorizar as que devo valorizar.

Decidi portanto retribuir quem tinha me lido. O seu sempre leio...e domingo escrevi e não deixei, levei.

beijo, e tudo de bom!

paula barros disse...

Oi, voltei!!! Vim deixar o comentário de domingo, que não era um comentário era umas das minhas reflexões. Fala de tempo também.


As horas vão passando. Focamos muitas vezes nossa atenção em fatos aparentemente sem significados, mas que nos prendem a emoção. Talvez por isso ficamos presos, e vimos e voltamos e nos repetimos.
As horas passam. Um dia não seremos mais os mesmos, e o que nos prendia a atenção já não nos prende. E nos podemos ir sem voltar. Ou mesmo voltando voltamos mais libertos da emoção que nos prendia.
As horas vão passando. Dias, meses, anos também vão passando. E nós? Passamos por horas, dias e anos e nem sempre nos desprendemos da emoção que nos prendia.
Sei lá, é tão confuso, as amarras da emoção, nos ligando no tempo.



abraços