03 junho 2009

V

Se você quiser digo eu,
digo para o seu patrão

e para os que navegam pelo rio
que o olhar comum
teima em dominar nossos dias.
Direi que decidimos levantar resistência
e que para a luta o primeiro treinamento
consiste em ler em voz alta e de cor
um para o outro
chaves perdidas de poetas desconhecidos.

Direi, mas... você promete
que vai ficar mais um tempinho comigo?



IV

Pois bem, você dirá para o seu patrão
que vai se atrasar porque agora há

quem quer ler e entender versos,
versos doidos em que os metros nada mais são
do que treinos para se enxergar
outro reino, novos modos de respirar
e viver as mesmas e comuns cores da vida.
Diga a ele que depois
o trabalho que você fará
será arte, flores na planície. Paz

Vá, diga isso com amor
e volte logo... fica aqui comigo



III

Não? Esta bem, está bem,
vamos pensar outra coisa.

Você diz que está abençoando
o relógio com um olhar de amor.
Diga que vai se atrasar
mas que compensará o atraso
com poesias de vários tamanhos de asas
que serão semeadas em cada mesa.
As sementes são instantes felizes.
Vá... diga isso... depois vem
e fique aqui comigo.

Logo mais outro relógio
marcará nossa revoada.

9 comentários:

Márcio Ahimsa disse...

a revoada marca sempre as histórias que o relógio não dispersou para longe do pensamento, e trás, sem ente de apegos, uma nova esperança de amanhã.

Abraços, Dauri.

paula barros disse...

Cada nova série é uma revoada de bons sentimentos.

É encantadora sua forma de escrever, aprecio, sinto, gosto.

Desperta sensações boas.

"As sementes são intantes felizes"

Procuro palavras e não encontro. Fica meu carinho e admiração.

Aguardando o cuco anunciar a próxima hora.

beijo

Joice Worm disse...

Gosto do "depois vem e fica comigo"! Uma delícia de pedido...
Salvo seja!

paula barros disse...

Amanheci pensando como distribuir poesia no trabalho. E trouxe um cd de forró, porque me alegra, me deixa mais leve. Vou enfeitar a sala de bandeirinha que um dos chefes me pediu a mais de quinze dias e eu não fiz, e para ele isso é importante e vai virar poesia.

E tentar escutar e olhar melhor o outro, ah, Dauri, transformar o dia a dia em poesia não é fácil, mas lendo você eu vou seguindo os passos. rsrsr

Sabe Dauri, estou até chegando mais cedo depois dessa sua série, venho correndo para ler, e os atrasos diminuiram. rsrsrs

um dia lindo para você, cante suas poesias aos seus.

paula barros disse...

Diga ao meu chefe (em especial), que mesmo eu chegando cedo, eu me atraso, porque ainda não consegui sair daqui. E não dá para está em dois lugares ao mesmo tempo. rsrsr

Ah, você me faz pensar e sentir e querer ser melhor....

Vou trabalhar, mas eu volto. rsrsr

Vivian disse...

...gosto quando alguém pede
que fiquemos.
delícia este sentir...

bjbj, meu lindo poeta.

Betho Sides disse...

Rapaz adoreia a 'revoada", quem sabe vc participe de uma revoada que estou organizando...De um pulinho lá no blogue. Abraço

Anônimo disse...

o relógio do ontem na espera.
um passo à frente e dez para tras.
sem atrasos e sem esperas.

(tb viajei)

Mai disse...

Relógios que na maioria das vezes estão fora de uma sincronia...
Relógios que 'destrambelham-nos' a vida, o aproveitar da vida...
Esses dias assisti a pressa de um motoqueiro e um motorista de ônibus, em vermelho-sangue no asfalto.
Foi pavoroso assistir aquilo...
Relógios apressados, gente apressada a pressa do acaso e a morte que se apressa...
Beijos,