08 maio 2009

O que dá na telha e nas feiras
(sexta-feira)


Inconclusos versos,
sextos passos
incompletos.
É obra a vida,
inacabada. Inacabado
sempre, inquieto, sigo

***

a arte de dobrar as esquinas,
as quintas e as sextas,
em ângulos de amor,
tento. Escultor
também quero ser,
quero martelo e cinzel,
pedra já tenho. Os dias,

***

os que se passam,
um comboio,
viram páginas. Outro
verso me inicia
em novas perplexidades:
outros dias,
páginas para outros livros
(sem ponto final)

10 comentários:

Tatiana disse...

E assim vamos vivendo...
Em cada novo dia uma nova oportunidade de novas e belas páginas na escrita da vida!

Um abraço carinhoso

Eurico disse...

Que amanheças noutras perplexidades, noutras instâncias, noutros versos que te iniciam, noutros dias.
Salve, Poeta.
Salve a Poesia nossa de cada dia, sem ponto, afinal.

paula barros disse...

Adorei essa semana, teve dia todo dia, palavras na noite para começar o dia, teve feira para eu passear, ouvindo as vozes do pensamento.

Talvez, ou com certeza, quando digo que gosto de algo é porque tem ressonância no meu eu e o ser "inacabado sempre, inquieto, sigo.." fez me ver.

A inquietude move, penso, ou pelo menos me digo como alento, para alegrar-me do estar em busca de mim, e do acredito ser melhor.

E quando leio suas palavras acredito que você também busca, talvez bem mais amplo no ser amor.


Esse trecho - "Escultor
também quero ser,
quero martelo e cinzel,
pedra já tenho." fez barulho dentro de mim.

um beijo e um abraço

paula barros disse...

Dauri, quando quiser levar algo daqui posso levar? Colocarei seu nome.

paula barros disse...

Não aguentei. Já roubei, agora só me resta devolver. Está no meu outro blog.

beijo, bom sábado

Elcio Tuiribepi disse...

OLá Dauri,gostei dessa, da anterior, e da outra, mas cinzel me lembra arte, entalhe, apesar da sua pedra ser outra e do seu martelo também...
Parabéns amigo...cinzelano a alma com a perfeição de sempre...

Joe disse...

Há alguma coisa nos seus textos que faz todo o sentido sem fazer sentido nenhum. No entanto, não consigo identificá-lo. O problema é que por isso, também não consigo parar de os ler =O

Opuntia disse...

O melhor da sexta-feira é o dia seguinte... rsrsrs

Bjos

Dora disse...

Então, Dauri. A vida é sua lida, sua matéria onde trabalhar com as ferramentas, que tanto podem ser o cinzel, o martelo, a foice, o arado, as palavras no papel...
Inacabada será sempre sua pintura, seu livro, sua canção...E vamos dobrando esquinas e serpenteando atalhos.
E eu deixei um poema de presente prá você, lá no pretensos....Aceita?
É seu.
Abraço grande!
Dora

Sandra Regina de Souza disse...

Vim lendo...rs... parei nesta porque hoje não é sábado (como já escreveu o poetinha...rs...), mas foi véspera de...
beijos semanais...