21 maio 2009

(elementos: ar...)

Houve um tempo
nos dias do predomínio do ar
em que os cavalos guardaram as asas.
Vejo em seus olhos,
eles sabem onde elas estão,
mas simplesmente
não querem voar.
Gostam da música que suas patas fazem no chão.

9 comentários:

mundo azul disse...

___________________________________

...será mesmo? Pois sabe que os olhares deles, ocultam mesmo alguma coisa...

Lindo poema!!!


Beijos de luz e o meu carinho...


Zélia

_________________________________

John Doe disse...

Nossa fiquei atonito...

John Doe disse...

Nossa fiquei atonito...

octavio roggiero neto disse...

Dauri, meu amigo a quem muito prezo, você tem uma sensibilidade que não é deste mundo. Cada patada no chão destes cavalos revelam a força do pulsar do seu coração. E como gosto também da música que ressoa deste movimento perseverante. Aquele abraço muito amigo do Octávio.

paula barros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Plínio Gomes disse...

A simplicidade de ter as patas no chão. Isso é mágico. Fiquei realmente emocionado.
abraço perfumado

paula barros disse...

Você me fez sorrir e ouvir os trotes dos cavalos. Eu ri porque também sei onde estão minhas asas, e fiquei me imaginando trotando rsrs

Mas as vezes tenho que me controlar para não voar demais ou não me rastejar ou não dar coices.

Me encanta a sua inteligência criativa.

E se (elementos) for toda assim já sei que vou gostar muito. E voar...

beijo sorridentes

Avassaladora disse...

"Gostam do barulho que suas patas fazem no chão..."

Sabe, Dauri, quando leio algo assim, tipo essa poesia sua, fico introspectiva...

Porque a quantidade de sentimentio que são aflorados me deixa assim...

E me pego e pensar como a poesia flui... Como conseguir colocar nas palavras, sentimentos que são tão fortes!

Avassalador seu poema!


Beijos e carinhos mil!

Elcio Tuiribepi disse...

OLá Dauri,se lá icou redondinho o poema, aqui sua escrita fala de forma surpreendente sobre a emoção e a razão...sobre o ponderar e escolher sobre o que ainda lhe faz bem, apesar dos sonhos, simplesmente assim, meio tácito, meio explícito...sei lá...viajei...show de bola.
Um abraço na alma...