08 abril 2009

I

Não sei...
tenho que fazer alguma coisa,
nem que seja
tatear estas paredes escuras, espessas,
frias, duras
a procura de dispositivos que abram janelas.

Algo como tramelas,
tramelas medievais,
ou botões twenth century,
ou sensores digitais. Abrir janelas.

Olhar e ver.
Dói. As geleiras se descongelam.

Então me empalavrejo,
me poemejo. Faço metafísica do que vejo,
mas não quero transcendência agora.
Me descontento,
esbravejo. Tateio novamente,
procuro outras janelas. Quero ver as coisas, densas,
elas mesmas, aderentes.
Prometo a mim mesmo, quando outra janela se abrir
haverei de ver Jesus

descido no mais fundo dos mundos, nos infernos,
na mansão dos mortos. Lá, aqui, onde, no centro da matéria,

eu também começo a me erguer, ressurrecto.

23 comentários:

paula barros disse...

Ai, Dauri, nem devia está aqui. Não fui em nenhum blog.

Fui retirada das mansões dos meus mortos, ressucitei de mim mesma, janelas e portas se abriram, com palavras transformadoras, fui jogada ao mundo lindo, onde me vi, onde leio muitos, mas o anjinho enviado que falou ao meu coração, não quer me conhecer.

Não sei o que dizer sobre o ver Jesus......, realmente não sei.
Queria dizer muito.

Lembrei da música, "ele está aqui nesse momento, fale com ele, ele vai entender você" (acho que é assim a música). Sempre penso que ele está dentro de nós.

Volto!

beijo

Artista Maldito disse...

Olá Dauri

E no "centro da matéria" tenho um presentinho da Páscoa à sua espera:)

Dauri, desejo-lhe uma Páscoa muito feliz.

Beijinho
Isabel

Avassaladora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Avassaladora disse...

Dauri, Saudade!
As vezes, eu que gosto tanto de escrever, me vejo sem palavras...
Vc tem esse poder!
Me emudeço diante de tantos sentimentos que são aflorados a cxada palavra sua, a cado verso, a cada frase...

Eu tambem gostaria de encontrar tramelas, que abrissem pelo menos uma janela, onde eu pudesse vislumbar algo que fizesse sentido...

Um beijo avassalador!


PS: "Tramela", adorei ver essa palavra em um poema...
Tantas recordações do casarão do meu avô...

Gabriela Magnani disse...

Eu te admiro pacas, sabia?

Branca disse...

Passando para desejar uma boa Páscoa em família para vc...bjos!

tossan disse...

Com a tua soberba poesia há de abrir a janela certa para o encontro com o Cristo Rei. Te garanto é a tua bela poesia de encontro com a sagrada. Abraço

Vivian disse...

...querido poeta,

hoje estou passando por aqui
para desejar-lhe uma maravilhosa
páscoa regada ao mais puro
sentimento de amor,
e que o coelhinho lhe seja
generoso trazendo à você
ovos de intensa doçura,
mas que não engordem..rss

beijo

Eurico disse...

Bom dia, Poeta do Espírito Santo. Também gostei da tramela. Sem embargo dos botões e sensores. No centro virtual da matéria há o código secreto, o genoma, ou seja, a matéria se em/Palavreja também. Lá deve haver Poesia ressurecta. Crística poesia, sei lá eu!

Abraço fraterno.

Márcio Ahimsa disse...

A palavra sempre se renova pela criação de novas palavras, pela aderência por novos significados, sejam rupestres esses, sejam lampejos de ilusões, mas sempre concretos no embelezamento que descrevem pelo caminho da criatividade.

Abraços, boa páscoa.

Elcio Tuiribepi disse...

Caramba Dauri...
Então me empalavrejo,
me poemejo. Faço metafísica do que vejo,
mas não quero transcendência agora.
Me descontento,
esbravejo.
Ficou prá lá de bonito isso..."empalavrejo"...gostei dessa palavra, um dia eu uso...rsrs
Obrigado pelas palavras lá...um abraço na alma e uma Feliz Páscoa ao lado dos seus...valeuuu...bom feriadãoooo

Tentativas Poemáticas disse...

Caro amigo Dauri
Passei para lhe desejar PÁSCOA FELIZ.
Um grande abraço.
António

Iana disse...

Caro amigo passei um tempo ditante de tudo por aqui...

Hoje li partes de alguns textos aqui postados, e amei...

Desejos de boa Páscoa
beijos da rosa amiga
Iana!!!

Luis Eustáquio Soares disse...

belo poema, parceiro, de dispositivos outros, que horizontalizam horizontes.
meuabraço,
luis de la mancha.

Avassaladora disse...

Ainda tateando paredes, a procura de tramelas, na noite escura...


Beijos!

Wellington Felix disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wellington Felix disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wellington Felix disse...

haverá de haver luz pra você e sua poesia
haverá de haver sonhos e janelas,
havendo noites escuras e claras,
geleiras e braseiros
tambem haverá palavras de asas e chamas
que como as suas, nos fazem voar e clareiam as noites mas escuras!

Opuntia disse...

"me empalavrejo" e "me empoemejo"... muito bom isso!

Bjos

NEGROPOETA disse...

Às vezes nos prendemos no que não sabemos que nos leva a uma cegueira desmedida e qdo buscamos ressurreição é que percebemos que nem na cruz ainda fomos pregados. Carinhosamente Di.Ro.

Mai disse...

Te deixar um abraço.
Todo dia é dia de renascimento e renovação mas hoje é domingo de Páscoa e eu queria te deixar um carinho e o desejo de que tenhas uma Boa Páscoa!

Beijos,
Mai

Oliver Pickwick disse...

É uma poesia de impacto, audaciosa. Não há buscas fáceis, ao menos aquelas mais essenciais.
Um abraço!

paula barros disse...

Sempre procuro para ver se você atualizou, um forte abraço e o desejo que seus dias tenha sido de paz.

abraços