01 abril 2009

Despedidas

(Abro meus novos poemetos com citações de blogueiros que se despedem da blogosfera)

"continuarei a escrever.
Mas a blogosfera é 'uma prisão ao ar livre'.
Por isso, entro em balanço.
Até qualquer dia! "
lobamulher.blogspot.com

I

Há agora uma dor,
uma abandonada dor
que retornou. Uma dor
de quem nasce. Muitas dores
de quem morre e renasce.

Dor de roupa rasgada
que não se pode mais usar.
Dor de luz forte
sobre olhos fechados
que mesmo assim doem.

Dor de dizer good-bye.

Contentamento de dizer acabou.

Eis que me livro de um laço
mesmo que outro
já esteja sendo jogado nos meus passos.

10 comentários:

paula barros disse...

Estou com uma amiga blogueira, que conheci em Curitiba, também se despedindo hoje.

É chato.

Alguns vão e volta, não suportam. Outros demoram. Outros não voltam.

Assim feito na vida. Quero aprender com esses momentos. Tento.

um beijo.

Anônimo disse...

contentamento de dizer acabou?
como assim?

Oliver Pickwick disse...

E o que é a vida, senão desvencilharmos de incontáveis laços? Ainda bem! É uma boa maneira de treinarmos o espírito.
Um abraço!

Cosmunicando disse...

tão oportuno esse teu poema hoje, Dauri!
não só na blogosfera, mas em todas as esferas, o desenlace é doído...
bjos

Mai disse...

São encontros e despedidas...
Depois a companhia e os vínculos ainda que virtuais...
Pontes efêmeras nos instantes de solidão e por vezes saudades...

Um exercício importante nessa transitoriedade que é viver, blogando...
Gostei de levantares o tema.

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Dauri!

É a ciranda da vida. Novas descobertas, velhas cobertas, e assim a vida prossegue.

Belo poema.

Um abraço fraterno!!!

paula barros disse...

A despedida da minha amiga foi 1º de Abril. Melhor assim.

Ter um laço. Que enlança, que entrelaça. Um laço que nos liga. Fiquei a pensar.

bjs

Avassaladora disse...

Dauri, despedidas reais ou virtuais são dolorosas...
E seu poema dói!
Talvez recordações que me machucam...
Sou péssima com despedidas...

Beijos e carinhos!

Eurico disse...

No caso da Loba, vai deixar um vazio. Mas, a vida é mesmo assim, feita de silêncio e som...
Abraço fraterno.

líria porto disse...

passeei sobre teus passos, havia coisas bonitas...
obrigada!
líria porto