22 março 2009

I

Arquivos oficiais secretos por muitos anos
naquele distante outono que caía
no refrão daquela velha canção que ninguém esquecia
revelaram relatos de uma mulher sobre ovnis.

Ela pulava sobre flores nos próprios pensamentos

enquanto seguia com seu cachorro pelo parque.
Ela nunca sorria, mas sorria enquanto pulava sobre flores
no pensamento. Inesperadamente aconteceu. Rosas
rubras com bordas alaranjadas brilharam

bem diante dela. A partir daquele dia

as horas se esvaziaram, a solidão aumentou.
Ninguém acreditava. Mas havia um projeto do governo,
um projeto de muitos anos, com muitos documentos,
os seus relatos e muitos outros. Nada se confirmou,

nem um sinal, nem um rastro, nem um perfume,

ou odor de outro planeta e ETs.
Ocorreram-lhe pensamentos sem entender
sobre amores desgostosos e fugazes. Vida
que ela nunca viveu, amores intensos. Dias que caiam

e se iam. Mas ela viu. Ela viu um homem, ela tinha certeza.

No entanto, agora, preferia usar a expressão teria visto.
Sim, teria visto um homem que saiu de um objeto
brilhante e esférico, e veio em sua direção
e lhe falou em inglês com sotaque de escandinavos.

A nave poderia ser só uma rosa de pétalas rubras
e bordas laranjas. Mas rosa tão grande! As emoções
permanecem e as naves se vão. Viram luzes.
As coisas mudam, um vaso chinês se quebra e ela,

ela somente passeava com seu cachorro em um parque.

Haviam viajado para a Terra de outro planeta,
foi o que um deles disse sem poder dizer. Poderia ela
encontrar um amor e viver sem ver coisas do céu?
Mas ja tinha escrito uma carta para a Força Aérea.

9 comentários:

Maria Helena disse...

Querido poeta,é difícil fazer opção pelo melhor verso.Apesar de gostar de todos escolhi:"Ela pulava flores nos próprios penssamentos."E quem não o faz?

Abraços de Maria Helena

[ rod ] disse...

Emoções expostas à luz do luar... inebriam sempre.

Abçs meu caro,






Novo Dogma:
nuncA...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

fred disse...

Ótimo poema.
Abraços

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO DAURI, A TUA POESIA CONTINUA A FAZER A MINHA ALEGRIA E EMOÇÃO... ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

Márcio Ahimsa disse...

...viajar sonhos por outros planetas pegando carona numa cauda de cometa é viajar o mundo de dentro para fora, é tecer estrelas e desenhar nuvens no espaço, espaço de nós.

Abraços, Dauri.

paula barros disse...

Uma nova série. Sempre escritas com inteligência e criatividade.

"Poderia ela
encontrar um amor e viver sem ver coisas do céu?"

Uma boa pergunta. Que me fez pensar.

boa semana!

Anônimo disse...

....nenhum ET no meu quintal....

paula barros disse...

Dauri

Roubo as suas palavras, mas devolvo para você, só para dizer que elas vão falar por mim.

"Na verdade este é o encanto da literatura. Cada um entra num livro de um jeito. Cada leitor tem a arte de reescrever o livro. Cada um faz a viagem a seu modo.
Beijo"

Assim, me sinto ao ler os diversos escritores, inclusive você. E me permito viajar por mim. Espero que você lembre-se disso ao ler meus comentários. rsrsrs

Até o beijo roubado, deixo para você. Até que sou uma ladra boazinha.

Porque depois que suas palavras entram em mim e caminham juntas com as minhas, já não temos o domínio delas, nem você, nem eu.

E além de ladra, sou egoísta, desejo a você muitos e muitos escritos, porque eu gosto de ler e viajar.

abraços meus.

Mai disse...

Oi,Dauri.

Palavras ou frases, gosto do que escreves.

beijo.

Mai