29 janeiro 2009

I

J2´ nã9 quer8 est2s caminh4s,
q3ero o8tros. A poe7ia já s3 esv4iu
do5 pass6s po4 ond7 v2mos.
Teima8os em segui4 os vel7os,
m1s v3lhos 7á so3os nó2.
A 9oesia a5re camin8os,
nã4 con7irma n4da. Jog9-se,
r3de 3m ma5 bravi0
s2m s5 im9ortar c8m qu3 9eixe
se vo7tará 9ara cas3. Quand0 se v8lta,
se s3 vol5a, é c6m mã8s lev5s.
%ão m3 cha4em p0eta.
Rene6o e55e p9sto. V9u par4
ou7ra pai5agem, pert6 d0 horizon7e,
3as n2m se1 s4 lá v8u fic4r.

14 comentários:

Branca disse...

Você tem um jeito todo próprio de lidar com as palavras, percebo que liberdade pra vc é essencial,liberdade em todos os sentidos, até nas palavras que manipula tão bem.

Ótima quinta pra vc,
bjo carinhoso.

Sarah Vervloet. disse...

O que será, se não é um poeta? Um artista, no mínimo.

abraço.

Mai disse...

Ok.

Ok. Shhhhh....
SShh.....3u v*u t3 c9nt4r 1m
s3g8edo. 3u %amb3m n@o &0u n@d@...
&0u 4p3n@s 1m &3r h*mªn* q¨e @ma
3uitº...

Fica não vai embora..

n3 m3 q#itt3 p@s!
Remember?

mundo azul disse...

_________________________________

Como não chama-lo de poeta?

O seu poema é MUITO original, Dauri!!!

Beijos de luz e o meu carinho...

___________________________________

Enigmas de um mistério disse...

é legal essa brincadeira com as palavras.

Maria Helena disse...

Rene6o e55e p9sto.
Não se pode renegar o que se é,grande poeta!
Abraços
Maria Helena

Letícia disse...

Qualquer título - seja de poeta, lavrador ou observador - tudo isso é bravio. E a gente nem sempre suporta. Mas acredito em poetas. Eles têm força nas palavras. Mesmo quando ditas em códigos.

Vivian disse...

...o poeta não se pertence.
portanto existirá em qqr lugar
onde a poesia o chamar.

bjuss

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Dauri!

Outro dia tentei abrir o teu blog e, não conseguindo, pensei tratar-se de algum problema, pois no link havia letras misturadas aos números e vice-versa. Hoje, ao abri-lo, me deparei com sua poesia, o que me surpreendeu. Primeiro por eu estar errado na avaliação induzida e, segundo, pela própria forma da poesia.
Gostei, e digo que o poeta usa a paisagem, mas a paisagem também usa o poeta, para que a viagem continue.

Um abraço fraterno!!!

Elcio Tuiribepi disse...

Renlmaete vcoe brnica cmo as parvalas...rs
Um grande abraço amigo...brincar é essencial, criar e reinventar...bom fim de semana para você...

Jo Bittencourt disse...

humm, delícia isso!

Vivi disse...

Fantástico! Forma e conteúdo encantadores!
Um beijo!

Mai disse...

Eu continuei pensando no que vi e naquilo que consegui ler porque completei aquilo que pensastes em grafar e substituiste um ou outro fonema ou apenas uma letra...

Pensei na força dos signos e o quanto a linguagem nos impressiona a percepção.
Consegues desconstruir a estética de um poema em uma construção esperimental e, mesmo assim, a essência do texto é acessada pelo teu leitor.
Quem te lê há alguns meses já leu a frase 'não sou poeta'...
Então para mim foi perfeita a tua proposta e o que consegui apreender dela.

Beijo.

Mai.

paula barros disse...

Me lembrei daquelas máquinas de datilografia com defeito. rsrsr

Me deu trabalho, heim!

Como posso viajar nas suas palavras, se tropecei?
Como posso degustar, se engasguei?

Eu páro agoro....e continuo!

abraços