07 janeiro 2009

(continuando o acrisolamento alquímico do mesmo poema).

A desinpiração é uma chance de se enfuturar a vida de poesia

libertando-a dos autores e dos seus livros. Deslivrar o amor.
Os dias de janeiro me trincam os sonhos, e os sonhos do mundo.

As montanhas e o mar me aprovinciam de belezas no Espírito Santo.
Margeando o Hudson fui até West Point na província de New York.

Apalavramo-nos em rede e em desejos de proximidade.
Nos ficcionamos nos textos que escrevemos. Resgatamos

nossos gritos, nossa nobreza, nossa orquídea coronariana

apalavrando nossos caminhos, pedras e tropeços. Esperamos
um mundo desvirado, em manifestações de gestos humanos.

Livro-me de inspirações e endesejo ainda mais minhas palavras.

17 comentários:

Mai disse...

Oi, Dauri.

Isto é ouro!
Derretido em fogo, em rito. Moldado, remoldado feito jóia rara...
E como toda transformação, é rito, é contiuum...
Forjado em fogo forte, o poema como o poeta em seu viver, segue em seu devir.

Beijos, Poeta.

Este está inda mais belo.

paula barros disse...

Dauri

A rede nos interliga, nos deixa embalados numa mesma sintonia, tece fios com palavras, aconchega a alma, emociona a emoção.

Me disficciono por vezes ao escrever e ao ler, palavras que tem o poder de me descobrir. Assim como na alquimia, transformar metal em ouro, ou pelo menos me fazer pensar e sentir.

abraços

paula barros disse...

Dauri, bom dia!

Tomei a liberdade de colher um pensamento seu e colocar num lugar que gosto muito. Se quiser dá uma olhada deixo o endereço, e caso não goste de algo é só falar.



http://diariovirtualmeu.blogspot.com/

Vivian disse...

"Apalavramo-nos em rede e em desejos de proximidade.
Nos ficcionamos nos textos que escrevemos.
Resgatamos nossos gritos, nossa nobreza, nossa orquídea coronariana
apalavrando nossos caminhos, pedras e tropeços."

...quantas vezes nos encontramos
nas palavras do outro,
e estas palavras soam como asas
de liberdade ao percebermos,
que somos todos UM.

bjusss

lyani disse...

Dauri!
Ouro puro, puríssimo :)
Desejo um 2009 reluzente, iluminado, cheio de palavras preciosas como só você sabe lapidar!
Bjos

Loba disse...

De uma forma belissima vc diz o que eu apenas sinto e agradeço por sentir!
Beijo!

Márcio Ahimsa disse...

desapalavrando a inspiração e dando asas à poesia...

Germano Xavier disse...

Como jogar uma pedra ara o céu e esperar que ela desteça, na queda, o limo da terra. A ruptura com o que é fincado, como o que já pe. A ânsia pelo novo.

Você é o teu poema, Dauri.

Abraços forte, professor.
Continuemos...

Tatiana disse...

Esses elos formados pelo encontro dos caminhos é algo fascinante.
Um abraço carinhoso

Leandro Jardim disse...

gosto especialmente dessa terceira parte!

desplavrar talvez
seja a vida a nos
ler em movimento

Dauri é um poeta poeta :)

abs
Jardim

ela disse...

Que lindo!
sabe que eu acho que janeiro tem sido assim para todos nós.
mas só tu sabes aproveitar esse momento.
que lindo..

Artista Maldito disse...

Olá Dauri

A libertação do cânone, no mesmo sentido que se desfolha o amor nas redes incomensuráveis da comunhão e polissemia do texto, purifica a palavra.

Um bom fim de semana, sempre feliz com a sua visita, deixo-lhe um beijinho com amizade sincera,
Isabel

Elizeu Soares disse...

As montanhas e o mar me aprovinciam de belezas no Espírito Santo.
MANEIRO
Fica na paz...

Alex disse...

Com quem não acontece isso? Quem não sente janeiro trincando tudo? As palavras estão aí, mas elas brincam conosco - engana-se quem pensa que nós é quem brincamos com elas. Never, my friend.

Sandra Leite disse...

Dauri,

Voltei! Feliz 2009!

Seu texto foi talhado em ouro. Coisa preciosa ler texto assim. É ver o horizonte ainda que na selva de pedra

beijos

Maria Helena disse...

Faço minhas as palavras de um poeta para dizer:Seus poemas me fazem chegar a lugares mais distantes de mim mesma.
Um grande abraço.
Maria Helena

Germano Xavier disse...

Passando e relembrando sua aula de poesia, professor.

Abraço forte.
Continuemos...