23 novembro 2008

Estranho
(coisas das planícies)

... quadros na parede
na estalagem da noite.
Vida que impede, ou que pede
uma ruptura.
Paisagens avermelhadas,
gastas, e marrons, muitos marrons,
tons e outros nós de dor, óleo sobre tela,
temas ingênuos, pastiches. Vida pastiche,
por mais que se ande, na planície,
parece,
só a mente vai à frente,
ainda que plana e insana.
Os espaços,
os alvéolos, os céus, pulmonares anjos,
ares, espíritos cheios de entusiasmo por andanças
logo se esvaziam,
correm e drenam-se água pelo riacho.
Amor, entendimentos, direção,
pega-se no fundo a alma, a vida,
os passos que resistem,
segue.

...a estrada,
misteriosa serpente,
dissimula-se, ou revela-se numa bandeira
na mão de estranho viajante,
Adianta-se uma luta contra a planície ou
aprende-se com as agonias, o estranho sussurra-lhe.
Dor, agonia de que espécie? Pergunta-se. Específica?
não, nenhuma. Difusa, confusa, talvez dor de viver.
Viver pedra,
areia, poeira, amarelados tons planos,
anos tão rápidos. Ah, pesa no estômago um breu,
uma pretura de sonhos queimados,
passos não dados,
...a inominável agonia.
O estranho lhe oferece uma direção
e um estandarte em azul cerúleo
com estrelas em prata.
Ele agradece, não aceita, e se vai.

7 comentários:

Liquificadorizando disse...

"Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação."

Versos em um domingo chuvoso, very good!

Bjs

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Dauri!

Fez bem em recusar a direção, afinal é melhor construir o próprio caminho, dar-lhe sentido e defender sua própria bandeira.

Um abraço!!!

Opuntia disse...

Com tanta chuva, é melhor procurar um planalto, rsrsrrs.
Agora, brincadeiras à parte, gostei mt do poema. As planícies, principalmente as desérticas, são mt misteriosas e atraentes.

Bjoss

Artista Maldito disse...

Olá Caro Dauri

Hoje não sei comentar, o poema fez-me chorar, não é triste, mas "viver a pedra" é duma fundura tão grande, impenetrável, que apenas sinto esse viver e como ela vivo em estado de pedra...simplesmente.

Muito obrigada pelas palavras deixadas no Maldito Artista, são palavras generosas.

Um beijo com muita estima,
Isabel

VeraBasile disse...

Olá Dauri,
Obrigada pela visita!
E pela oportunidade de te "conhecer". Gostei demais desse seu texto, profundo e triste, mas verdadeiro como a vida é...
Bjs

Thiago... disse...

Dauri! Valew por passar lá cara, muito obrigado por comentar, espero que volte sempre ^^

Então, muito legal esse texto, muito verdadeiro!

Vou linkar você, será que posso? hehe

Mai disse...

Caramba!
Eu não canso de ler teus textos.
Há dias não lia.
Uff!

[.....]