16 outubro 2008

Tintim!

Há que se ter cuidado na colheita destes frutos das tristezas,
são delicados, são cerejas, framboesas e morangos.
São romãs, maçãs e rubis, vermelhos de dor, frágeis.
O amor neles é um sabor a se distinguir. Tristezas:
ninguém sabe a hora dos cálices em que transbordam os sumos,
onde começam e onde terminam as estradas e o que elas trazem.
Talvez levem cada vez para mais longe. Há que se ir.
A colheita destes frágeis frutos não se vende.
Vendem-se livros usados,
o suficiente para cobrir as despesas das demoradas andanças
e festas
entre uma colheita e outra.
Tintim! Saúde!

9 comentários:

JOICE WORM disse...

Com tanta coisa boa, entre frutas e livros, eu também entro nesta festa. Tchim Tchim!!

Jacinta Dantas disse...

Por vezes penso que é preciso reaprender a se alegrar com os frutos da vida e não se perder em colheitas ansiosas de antecipação do cálice que poderá vir. Melhor mesmo é ficar com a festa. Tintim.
Beijo

Elcio Tuiribepi disse...

EITA QUE SUA FORMA DE ESCREVER SEMPRE SURPREENDE...MUITO BONITO AMIGO...ABRAÇO...BOM FINAL DE SEMANA...

Priscila Lopes disse...

Ótimo! As aliterações, o ritmo, o tema.

Abraços,
Cinco Espinhos

Alex Sens disse...

Frutas e livros dentro de versos. Pode-se chacoalhar?

Dora disse...

Brindemos, pois, às colheitas dos frutos "frágeis" das tristezas! Façamos a festa da colheita, já que a semeadura entre as andanças frutificou. E se são frutos de tristezas, eles ocultam o amor, cujo "sabor" carece de um paladar atento e experiente.
Provemos desses frutos, com delicada atenção...Essa colheita não tem preço no mercado!!
Saúde!
E abraços!
Dora

Maria Helena disse...

A tristeza pode ter muitos sabores:ácido,amaro e até doce,mas entre uma colheita e outra(ora mais ,ora menos)nada melhor do que tintim!
Dá até para cantar.Ouço o som...
Abraço
Maria Helena

*andorinharos@ disse...

Outros cultivadores virão, novas colheitas teremos, mas não devemos desanimar. A arte hoje é assim! Se ao menos, todos gostassem de frutas ou as entendessem,valeria mais! Mas, fazer o quê?! Estamos aqui, e se o caminho é este, vamos em frente!
Lindo teu cantar que além de doado, sempre traz bons frutos.
Um abraço grande!
Marisa Rosa.

Artista Maldito disse...

Brindemos então,
com o cálice na mão,bem alto,
---------------------erguido,
recebendo o sangue dos frutos,
destemido do amargo, ou do doce,
afrutado ardor
---------------------de uma hora
em que a fragilidade
se torna irmã, ou inimiga,
da vulnerabilidade.

Um grande abraço
Isabel