29 outubro 2008

Os requisitos e as importâncias

Procura-se quem de veias e sangue acredita
na vida, nos mistérios, no amor. Ele
alegra-se com o anúncio. Há vagas!
Encontrará, é a chance, o que a ventura propõe,
o que sempre esperou. Já era hora.

Há que se ter entusiasmo, ser verdadeiro,
barba feita, roupa alinhada, um cheiro amadeirado
com notas de pimenta. Ser gente
é o que importa mais, mas não se pode esquecer
as habilidades antigas do vento, da chuva, do fogo...
Também ser como óculos certos para desejos de leitura,
espelho sem ferrugem onde não se vê o tempo passar,
e taça translúcida para vinho tinto, paixão.

Bem... ele assim supôs os requisitos e as importâncias.

Pronto. Fez-se a foto do candidato (sou eu?).
Ela analisou no retrato umas fumaças vazando
pelo olhar (tristeza não era, seriam meus pecados?
ai meu Deus!) No relatório final a recomendação:
é um olhar muito impregnado de constelações,
explosões, esse exagero de fogo poderá,
ela escreveu, ressecar-lhe a visão da mundo real.

Ele (eu?) foi considerado inapto.

7 comentários:

Vieira Calado disse...

"as habilidades antigas do vento, da chuva, do fogo..."
Esta é uma frase excelente.
E com isto acrescentarei que gostei bastante do seu poema,

Um abraço

Tatiana disse...

... coisas da vida!
que o que é para ser...sempre será!
E o que não tiver que ser (?)
a vida trata de dar novos rumos!

Obrigada por sua passagem no blog e por demonstrar sempre tenção ao que escrevo!

Dia de muitas dádivas para vc!
Abraço carinhoso

Dora disse...

Então. A vaga precisa ser preenchida. E ele se "preencheu" com os requisitos de "gente", no retrato.
Mas, as "importâncias e os requisitos",às vezes, não deixam "gente poeta", com olhar "impregnado de constelações", ter um currículo muito confiável para a sanidade do mundo real.
Poeta é gente que enxerga demais. Assusta os agentes do Departamento de Relações Humanas...rs
Beijos, poeta.
Vai ficar "desempregado"...rs
Dora

Assim que sou disse...

E resseca sim a visão do mundo real. E entorpece e desequilibra. E rompe métricas e muda o curso dos rios. Mas é bom demais. Que paguemos o ônus porque desfrutar do bônus é absolutamente encantador.

Primeira visita e, curiosamente, para ler um poema que me trouxe a uma conversa de hoje sobre o custo de se ser emocionalmente intenso, sonhador, repleto de constelações. Era impossível não comentar.

bjs. Veronica

Sandra Leite disse...

entende o que falo de liberdade com as palavras? você chega a brincar com elas...

lindo!

beijos

Eurico disse...

Umas fumaças escapando pelo olhar...ah, Poeta, quem analisa não quer constelações no olhar. Ela analisou e vai ficar a ver tão-somente o mundo dito real.
Belo poema, com o qual me identifiquei enquanto romantico por opção profunda. Também me alegraria com o anúncio e ainda procuro por ela...a ideal rsrsrs

Carlos disse...

e tudo é uma terrivel ilusão, e quando as aparências iludem? quem muito escolhe pouco acerta.
Não é assim?


Um abraço