26 setembro 2008

O exato momento do meio-dia

Houve um gigantesco silêncio num segundo,
e então... se ouviu um rumor.
Estranhamente as imensidões
lhe apontavam milhares de peregrinos.
Não. Alucinação não era.
Uma cidade em cada gesto
abria ruas por onde ela via
o que se passava, o que acontecia.
Dançam, dançam... Ela repetia.
Ele com carinho falou, por favor,
me faça ver pelas palavras o que você vê.
É o exato momento do meio do dia, respondeu,
um temporal de muitas águas no alto da noite,
um beija-flor ao parar no ar para tocar o tremor da flor.
Depois ela adormeceu.

14 comentários:

Extase disse...

que bonito

Vivian disse...

...Dauri agora você vai querer me matar...rss


mas vem cá...
esta aí que viu a tempestade
do meio dia no alto da da noite
e um beija-flor tocando o tremor
da flor será que não tinha fumado um baseado de meio quilo,
ou era sonâmbula mesmo??
kkkkkkkkkkkkkkkk

olha o detalhe no comt êxtase...
esse 'que bonito' quer dizer
não entendi bulhufas...rsss

bjs, lindo

sorry a brincadeira..

amo vir aqui te ler...
mesmo sem entender...rssssss

Dauri Batisti disse...

Vivian,
eu pensei uma concepção e o êxtase do encontro. O pensamento( o meu, me conduziu na criação destas imagens, mas as palavras, estas ganham vida própria...). Mas ai vai o que pensei: A mulher que vê e o homem que lê; a mulher que é o onde acontece, o homem que fica sabendo; a mulher que engravida e o homem que guardavida... por ai.


Beijos.

GUILHERME PIÃO disse...

Quando se ama é um frenesi danado...
Abraços

mundo azul disse...

...gostei!
Quantas vezes pensei, como seria bom saber como as outras pessoas vêem as coisas...
Jamais saberemos! Por mais que sejam descritas em palavras, as impressões não serão captadas...

Beijos de luz e um final de semana muito feliz!!!

Vivian disse...

...agora, depois da sua explicação,
lendo novamente o texto é consegui 'ver', ou imaginar a cena deste encontro mágico onde o amor se dá de forma a aternizar o encontro.

desculpe-me por minha insensibilidade, que num momento de bobeira deixou-se brincar com a sua alma linda e de maneira tão grotesca...

diante disso, novamente peço-lhe perdão pela brincadeira, que acredite, não teve conotação de maldade...

você é lindo!


bjs

Jéssica disse...

É o crescimento. Adorei.

Obrigada pelos parabéns! :D

;*

João da Silva disse...

Lindo isto, Dauri.
Profundo e, ao mesmo tempo, leve. Epifânico, eu diria.
Grande abraço!
João

eder ribeiro disse...

parar o tempo como o beija-flor, para se encantar com uma flor. abçs.

Leandro Jardim disse...

gostei disso, diferente, uma fotografia lírica!

Pedro Favaro disse...

muito intenso.
Tornou uma cena um sentimento.
Mto bonito.

Sergio disse...

Ao acordar, noutro momento inexato, compreendeu, asfixiada entre a infinita sorte de contrariedades que a compreensão de alguns fatos é tão somente mero detalhe, em meio ao universo de possibilidades.

Artista Maldito disse...

Olá Dauri

Ah, a mim me parece um encontro desencontrado entre o mundo da palavra e o das imagens. Mas porque são as palavras dominadas pelo homem e as imagens pela mulher?
Será este encontro do meio-dia possível? Ou só é um sonho possível no espaço de quem escreve?
A interrogação não só é pertinente, como o é essa procura das palavras certas que tanto se escondem nas sobrelinhas...
Um abraço
Isabel

Dois Rios disse...

por favor me faça ver pelas palavras o que você vê.

e talvez ela dissesse:

por favor me faça ver pelo toque o que você sente.

Beijo,
Inês