30 junho 2008

Tenho que me acender

Tenho que me acender.
Já é hora de parar de complicar.
Não existe mais essa...
O que existe é outra coisa.
Sim, essa de poetas...
O que existe é a falta,
o que existe é a fala, de muitos,
gemidos, sem estilo,
(estilo? o que é isto?)
em dialetos vários,
de vários modos,
rumores, gaguejos.
Gritando, gritando, gritando,
estão todos gritando.
Os livros de poesia estão no canto,
num canto calado, livros calados
no canto das livrarias.
Elas (quem? As poesias, talvez) morrem
nos livros. Não se vende, não se compra, nem se doa.
O meu grito, rumor, pigarro,
escarro não cuspido, expresso aqui,
peço licença ao dauri
e digo... é um pedido o que tenho,
é o que sou. Sou um pedido.
O que posso pedir? Um olhar,
dois amores, não vou negar,
ou um grande amor, muitos olhares,
brasas, pomares, mares, visões.
O que quero é sair correndo
e te alcançar ao ar livre e te abraçar,
nos campos ou na praia e depois,
só depois (quanto tempo não sei)
me levar para escrever
qualquer coisa (sem valor, dirão.
O que vale o quê? Perguntarei.)
só pelo prazer (ou pela dor)
de ressentir a vida.
Só o acendimento alonga a vida.

9 comentários:

Daaia disse...

adoroo tudo o que vc escreve aparti de agoraa!...

hehe

Daaia disse...

adoroo tudo o que vc escreve aparti de agoraa!...

hehe

Octavio Roggiero Neto disse...

um poema de fôlego feito de um "grande amor de muitos olhares".

fico maravilhado com a sua habilidade de fazer transbordar Poesia em poemas. porque fazer poemas qualquer um faz, mas traduzir a Poesia em palavras é dom de poucos.

um abraço imenso!

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Li reli tornei a ler...
Conclusão: também preciso me acender!
beijo e luz

fadazul disse...

É verdade!!!!!!!!
Triste, mas é...
bjks

Hanne Mendes disse...

Muito bonito.
Frases simples carregadas de tanto sentido, e ,quem sabe, de sonhos e/ou lembranças.

Abraço.

Beto Mathos disse...

"Só o acendimento alonga a vida."
E é da luz que viemos, vivemos e à ela, um dia tornaremos.
Bravo, poeta!

Luiza disse...

Voltei...
Mesmo longe e sem comentários estive apreciando suas lindas poesias!
Refúgio...nas fugidas.
Esse seu canto está demais!
Canto não...Encanto!
Encantado...é voçe!

Tô com saudade!

Oliver Pickwick disse...

Visceral. Passa a sensação de escreveu sem usar a tecla backspace uma única vez.
Desculpe a ausência, mas a minha falta de tempor torna-se crônica e progressiva.
Um abraço!