02 junho 2008

Permissão para desengasgar o tempo
(ainda saudade)

Vou encontrar um jeito
de jogar estas bolinhas de gude
de tal modo que suas cores e posições
formem um universo no chão
onde as leis obedeçam ao coração.

Ele ordenará à história que dê um salto para trás
para me permitir refazer um caminho
igualzinho ao que já foi feito, sem mudar um nada.
Só terei permissão para desengasgar o tempo
fazendo-o, para isso, ouvir atentamente
uma música cantada por Nara Leão.

O apressado do tempo comeu num dia
o que deveria durar mil anos,
e anda entalado no meu peito, tossindo, tossindo
me fazendo padecer de saudades.

Mas quem joga comigo
nem se dá conta de que nem quero acertar
e mesmo querendo errar,
para formar o céu no chão,
planetas, trajetórias e sóis,
acabo ganhando a partida.

Recolho as paisagens no lugar das bolas de gude,
um pedaço de mar, um navio, a curva da ponte
e volto pra casa cheio de saudades.
Tudo foi só um pensamento.
Um vento que me levou pra onde?
Vou ter que inventar outra história e outro caminho
com os passos marcados pela saudade que sinto.

7 comentários:

Ricardo Soares disse...

muito obrigado por sua simpática visita ao seu blog... volte sempre...abs

Carla Borges. disse...

ah, eu discordo.
infelizmente/felizmente sou escrava da minha própria ''inspiração''. Preciso sentir pra escrever, ou, meu texto ficará algo robotizado. Um monte de blá blá blá avulso, como o post de ontem. hehehe.
Bem, mas, cada caso é um caso.
Gostei do blog, posso/devo linkar?

Dauri Batisti disse...

Okay, Carla.
Cada um tem seu modo de escrever. Eu, particularmente, não acredito em inspiração. Acredito em colheita de fatos, momentos, cenarios, recortes da realidade, sonhos, etc que a gente usa para criar. Isso independe, para mim, de etado emocional.
Pode linkar sim. farei o mesmo aqui.

mundo azul disse...

Seu poema é muito bonito! Gostei de conhecer seu espaço... Agradeço a gentil visita!
Beijos e muita luz...

Carla Borges. disse...

ah, você disse certo: "isso independe PRA MIM".
como eu disse, cada caso é um caso, certo?
mesmo que eu tenha memórias, cenários, recortes da realidade, sonhos e etc, preciso sentir!
do que me adianta tantas peças sem usá-las?
mas veja bem, eu digo PRA MIM. hehehe.
enfim, linkei e obrigada =)

Mike disse...

grande dauri...
belo poema
saudade é um sentimento contraditório... quase mágico.
acho sempre muito conflituoso quando vc diz não acreditar em inspiração... talvez não em súbitos de inspiração, mas pensando que inspiração é tudo... um pequeno olhar, um enorme sorriso... mínimos instantes são inspiradores... e são por si só, sem grandes adornos!

Dauri Batisti disse...

Sim, Mike,

talvez começamos a nos entender se você diz que tudo é inspiração. Então não existem os súbitos. Qualquer hora é hora, é só tirar o tempo e escrever. O que pode faltar é tempo. Escrevo nos intervalos, entre-tempos, entredendo-me, aliviando-me, enganado-me, conflituando-me, "verdadeando"-me.
Você me entende?