19 maio 2008

Uma possibilidade

Um silêncio grande veio sobre mim
como um espírito ou algo assim que desce.
O que falo, quando falo, me custa,
estabeleço prejuízos irreparáveis,
gasto fortuna que não tenho.
Não há sabedoria, nem escuridão, só mudez.
Um anúncio me foi confiado,
mas recolho o impulso que me formaria a voz.
Guardo o ar que respiro para o que sinto,
algo como amar por amar e rir por viver.
Fez-me o silêncio um estranho,
mas me acostumo assim, outro feito de mim.
Fico fora de um eixo, alterado, crucificado sem dor,
grudado em lentidão nos instantes,
hipnotizado pelas insignificâncias do cotidiano.
Ao mesmo tempo vôo, pássaro ligeiro,
asas com penas levíssimas de prata,
para talvez pousar sobre o girassol de um dia diferente.
Me deixe assim, em silêncio, não me tente animar;
há uma possibilidade de não ser tristeza.

12 comentários:

Beto Mathos disse...

Há a possibilidade de ser, grandiosamente, um vôo e os vôos sempre nos levam à novos lugares, sejam lugares da rua, sejam lugares no interior de nós.
Abraço!

Dora disse...

Essa economia de palavras, esse recolhimento, quase egoísta, parece o reflexo de uma "disparidade" entre o ser e a realidade. O vôo ligeiro é permitido nos momentos especiais: "sobre o girassol de um dia diferente". É um silêncio "sagrado", que não advém da tristeza, mas, justamente da plenitude que é saber-se vivo, na inteireza de si-mesmo, sem precisão da exterioridade da palavra.
Essa "possibilidade" é ineuxarível para minha interpretação.
Então, tenho que parar...
(Você chama Eurico (o Eu-lírico)de poeta e os demais de "aprendizes" da Poesia. Saiba que não concordo. Você é também um filho muito predileto da Poesia.
Como o Eurico.
Um abraço, poeta.
Dora

Luiza disse...

Individualismo momentâneo, egoísmo bom.
Recolhimento, onde o silêncio induz sentimentos, lembranças, saudades,interiorização...
Há uma grande possibilidade de não ser tristeza...
Há muita leveza... sabedoria!

Um abração!!!

Remo Saraiva disse...

O verso final - "há uma possibilidade de não ser tristeza" - é magistral!

Abs,
REMO SARAIVA.

PS: Após longo inverno, estou de volta!!

JOICE WORM disse...

Um dia a minha mãe disse-me que se nascesse de novo, ia pedir para nascer passarinho... E neste mesmo dia, pensei: Eu pediria para nascer águia!
No fundo Dauri, qualquer pássaro representava a nossa mais profunda vontade... Voar, voar, voar...

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Que essa ínfima possibilidade se transforme em realidade, embora há que se ter um pouco de tristeza n'alma... para fazer verso.
beijo

poetriz disse...

Se existe a possibilidade de não ser tristeza, então tem que ficar quietinho mesmo.
Porque felicidade é igual passarinho, que se a gente faz um barulhinho mais alto, se assusta e voa pra longe da gente...

Bjs!

Violeta disse...

Há sempre a hora certa pra chegar, um descuido, uma horinha qualquer e ela vem, abençoada felicidade!
.

Jacinta disse...

Ei Dauri,
no aconchego do silêncio,acompanho o movimento de seus poemas. Digo no aconchego, porque gosto da palavra que vem de você e me provoca, cutuca sentimentos. Então,penso que, mais que falar, eu quero sentir. E "Uma possibilidade" me faz sentir que há momentos em que é melhor ficar quietinha, sem muitos fazeres, "sem muitas palavras" e perceber a imensidão de vida que tem para ser vivida.
Beijos

Vivi disse...

Esse é o silêncio mais agradável, o que pode não ser de tristeza. Realmente estamos em sintonia, amigo!
Voemos, pois, em silêncio!
Um beijo!

eder ribeiro disse...

Balzac já dizia que a felicidade mata o poeta, então se não é tristeza, vc deve estar sendo acometido da doença poesia. abçcs.

Wellington Felix disse...

cada palavra desse poema num crescente eficazmente embalando-nos na vida até achar o sagrado e dai, nem tem como comentar o que se é em si mesmo, deixo apenas um hai-kai do Bashô poeta Japones do Seculo passado:
Não pises neste lugar.
Até ontem esteve cheio de vagalumes...