26 maio 2008

Colhendo ostras

Homens e meninos nas pedras colhem ostras.
O sol se reparte em fracos reflexos de despedidas
nas ondas que se rebatem nos rochedos.
O cheiro da maresia,
a luz do fim do dia
marcam como um sino
o desate de certas amarras e cordas,
o acolhimento das aflições.

Se sobe ou desce a maré,
não importa, a hora será
a da Virgem Maria,
a dos afogados,
a da necessidade de tragos,
da dor silenciosa que se sofre sem alarde
e sem busca de remédio
... que não há.

Melhor calar,
um momento que seja,
sem que ninguém perceba,
e além das ostras, colher pensamentos,
aqueles que jamais, jamais
se tornarão palavras,
pois os oferecerei como alimento
para os anjos que me levam e trazem.

Desde os anos de menino
em caminhadas solitárias
buscando o ponto mais alto
para olhar o mar
acostumei meus anjos
a ouvir rosas fechadas,
palavras em botões.

9 comentários:

Dora disse...

No crepúsculo, (que beleza de descrição!!), o recolhimento combina com a solenidade da hora...
E, mesmo acolhendo tantos sentimentos à volta, o menino prefere colecionar pensamentos. O menino-grande imita o menino-pequeno: oferece aos mesmos anjos, as palavras contidas, "abotoadas" nas rosas. "Comer rosas fechadas" é uma imagem linda para o silêncio das palavras! Um "alimento" rico de simbolismo.
Gostei. Preciso dizer?
Abraço.
Dora

BAh disse...

"Melhor calar,
um momento que seja,
sem que ninguém perceba,
e além das ostras, colher pensamentos..."

Simplesmente maravilhoso!

Lu disse...

Eles, homens meninos solitários, catam ostras enquanto remoem pensamentos.
Alguns se vão como as ondas quebradas nas rochas...outros insitem em ir e vir.
Colher e escolher pensamentos para alimentar os anjos que nos colhem como as ostras.
Linda...dá pra sentir o cheiro da maresia e a dor da Ave Maria ao entardecer.

Abraço

sôdoida disse...

Não sou homem nem menino, mas com certeza tenho colhido algumas ostras... meus anjos que o digam! :-P Bjo, querido, gostei muito daqui tbm :-)

Leandro Jardim disse...

bonito, tem um belo final!

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Preciso acostumar meus anjos a ouvir rosas fechadas e lágrimas ocultas...
beijo, amigo por encontrar

Eurico disse...

A insólita imagem dos teus anjos a ouvir rosas fechadas...
É disso, Poeta, é dessa densidade que vive a arte poética.
Ave, Poesia!
Salve, Poeta!

Beto Mathos disse...

Colhi seus pensamentos, mergulhei no seu mar e, te juro, me vi colhendo ostras.
Lindo, amigo!

JOICE WORM disse...

"acostumei meus anjos
a ouvir rosas fechadas,
palavras em botões. "
Esta semana tenho escrito sobre Anjos. Cada dia que passa, sinto mais a presença deles...