24 abril 2008

Fim do coração

Preciso construir uma estrada
bem larga
que vá do meio da testa
até o fim do coração.
O fim do coração fica logo ali
onde dói
virando à esquerda
depois do amor
que perdi.

9 comentários:

F. S. Júnior disse...

poxa, Dauri, lindo, lindo, os mais singelo e mais belo que já li por aqui até hoje... mas a pergunta que fica é, será que alguém conseguirá tal feito? E quais as consequências disto?

*respondi ao teu questionamento lá no blog...

abraços

Mike disse...

construir uma estrada que ligue, sem curvas ou desvios, a razão e a emoção... para que se saiba o que dizer quando as palavras fogem... que racionalize a dor e confunda as perguntas...
do centro da testa até o fim do coração, da origem das palavras organizadas até o caos dos sentimentos perdidos...
para guiar neste trajeto, um sopro de inspiração ofegante, ardendo no vazio... da solidão.

:: Daniel :: disse...

Faço coro ao comentário de cima: lindo, lindo, o mais tocante que eu já li aqui.

Abraço!

Fernando Rozano disse...

poesia com P maiúsculo. obrigado pelo post e pela partilha. abraços.

JOICE WORM disse...

Adorei a idéia do "fim do coração". Mas ao mesmo tempo rezo para que ele seja pecorrido diversas vezes sem nunca deixar que ninguém encontre o seu fim...

Lu disse...

Que lindo!

Tão limpo e breve...foi direto aonde dói!
Mais uma vez...

Parabéns!

Abração!

HugoM disse...

o meu mais sincero obrigado pelo comentário. tem poemas lindíssimos.
um abraço
HugoM

Luis Eustáquio Soares disse...

amar o perdido
deixa confudido
esse coração
nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do não...
cda...
que outros amores de enchem de flores, amigo.
meu abraço
luis

eder ribeiro disse...

Razão e emoção sendo ligado, será que assim encontramos o bom senso, ou como vc disse, dor; por razão e emoção andar por estradas separadas? Abçs.