09 novembro 2007

Somos estranhos uns para os outros

Notícia do dia 08/11/07
Mãe, me ajuda, que está saindo alguma coisa de mim. Esta foi a frase que uma jovem disse para a mãe ao dar a luz em um avião sem saber que estava grávida.



Mãe,
dizia a mocinha,
minha querida mãe,
mãezinha que não me alertou
mãezinha que me deixou
na inocência de não saber
o que há tanto eu deveria:
somos estranhos uns para os outros.

Mãe
me ajuda,
Que pedaço é esse? um eu
que vai se tornando alheio,
se partindo e se libertando.
Há uma dor e um alívio,
um prejuízo e um lucro.
Me ajuda que está saindo
alguma coisa de mim.

Mãe,
mãezinha,
minha querida mãe,
eu te entendo. Fica triste não.
Este que saiu de mim é filho.
Um filho...
e eu não sei quem ele é.
Eu também te sou estranha,
...não é?

4 comentários:

Flavia disse...

A notícia foi bizarra. Já comentava ontem como alguém não pode sentir outra vida dentro de si? Insensibilidade? Não percebeu outro coração batendo? Não sentiu um pézinho empurrando, uma mão se esticando? Não reparou que não mestruava há no mínimo 7 meses? Falta de informação? Educação? Ou vergonha de ser mais uma adolescente grávida?

Mas vc entendeu perfeitamente o que aconteceu. É que ambas eram estranhas entre si. E pra mim. E para si próprias...

Anônimo disse...

Depois de um tempinho sem aparecer por aqui, fico contente de ver esse espaço tão bem frequentado. Legal que seja bem visto o que se é bem mostrado. Como diz a meninada: esse blog está bombando.
Dauri, por falar em meninada, gostei do seu olhar sobre E S T R A N H A M E N T O.
É...
As asas da poesia podem também sobrevoar na esfera do alerta aos nossos adolescentes. ACORDEM!!!
Sejam espertos e vivam uma etapa de cada vez. Amem-se mais. O amor ajuda a se conhecer melhor, a si e aos outros.

Ana Paula

Vivi disse...

Dauri,
adorei seus blogs - todos! O legal de navegar por tantos mares é descobrir portos tão interessantes, onde nos suprimos (de beleza, de poesia, força) e deixamos também um pouquinho de nós mesmos. E que grata surpresa saber que você também é psicólogo!
Voltarei mais vezes!
Um abraço!

Lyani disse...

O.O
Dauri, primeiramente obrigada pelo sorriso que tive logo de manhã ao ler suas palavras em meu humilde espaço! Lindas palavras, como estou percebendo, sempre!

E que belo poema para um acontecimento estranho... e a ultima frase me emocionou demais:

"minha querida mãe,
eu te entendo. Fica triste não.
Este que saiu de mim é filho.
Um filho...
e eu não sei quem ele é.
Eu também te sou estranha,
...não é?"

Lindo demais!
Obrigada e tenha um lindo dia!
Voltarei sempre, vc está linkado em meu espaço.