12 novembro 2007

Escada de cada dia

Escada cada um tem a sua
conforme o dia.
Essa amarela é linda.
Queria que fosse a minha.
Toda iluminada sem ser enfeitada.
Dourada a não ser de sol e mais nada.
Também será ela perfumada
de incensos os mais delicados?
Será deste dia a minha?
Quem quer me seguir,
- ouço sua voz entusiasmada -
tem que achar sua escada
de cada dia
e subir.
Cá de cima a vista é linda.

10 comentários:

Ellemos disse...

Ainda bem que há esses mares para os encontros!

Gostei muito de aqui (e de seus outros "esses")!

E, para também destacar um trecho que por si se destaca, vai:
"A pequena altura que alcanço
vai mais alto, no entanto,
que qualquer avião."

Também gostei demais disso aqui:
"Parece que devaneio
não amadurece poema.
O meu, que sempre guarda um amargo,
é pelas mãos que se faz."

Ancorei.

Jorge Elias disse...

Olá!
Vamos cada um pelejando com sua escada.
A minha queria que fosse a de Tistu, mas não sou um anjo.

Um abraço,

JE

Jânio Dias disse...

Cá de baixo, seu poema é também canção.

Abraço!

Jacinta disse...

Penso, nesses tempos,e até vejo,
que minha escada é vermelha.
Até arrisco usar uma blusa vermelha num domingo de sol.
Fico com mais energia para continuar na estrada e alcançar a escada.
Depois...
Subo devagar.
É...
Cada um na sua luta
nessa estrada/escada a prosseguir.
Mas, que olhando de baixo, sua escada parece tons musicais. Ah! isso parece mesmo.

Jacinta Dantas

Jacinta disse...

Quis dizer que sua escada, olhando de baixo, parece escala musical.

Jacinta

... disse...

cada cruz, cada luta, cada vitória, cada minuto, cada segundo.......e assim a vida vai passando, seguindo seu rumo....com o perfume de um delicioso incenso....

boa tarde Dr Dauri!
grand abraço!

Silvio Locatelli

Ana Paula disse...

Nossa!!!

Que poema! Parece que em você há um celeiro cheinho de letras que, ao se encontrarem com os sentimentos, fazem essa mistura e...
Dá até para sentir o cheirinho gostoso de incenso e ver o brilho da escada.
Abraços da

Ana Paula

Flavia disse...

E eu aqui, perdendo tempo, com medo de subir os degraus...
Mas toda vez que fecho os olhos posso imaginar como será a vista lá de cima!

leonardo.vervloet disse...

Escada. Cada um costrói a sua de acordo com seus anseios, seus pacados e seus interresses.
A minha tambem tem um corrimão dos dois lados. Pois se eu cair terei onde me segurar.

Wellington Felix disse...

querido poeta, vejo que ja não estou sozinho a construir escadas de luz com vista ao mar
Parabens atingistes o sol do poema