26 junho 2007

Filhos da satisfação

Poesia,
Ah, poesia,
Qual sua serventia?
Só serve pra quem escreve.
Uma ou outra
Cai no coração de quem lê.
Poesia é como espermatozóide
Você ejacula muitas
Para, quem sabe, uma
Fecundar um coração.
Mas eu não me importo
Que o que busco mesmo
É o gozo.
E se eu tiver um filho
Ele será o filho
Da minha satisfação.

Um comentário:

paula barros disse...

Dauri, gosto de passear por aqui.

Poesia que toca meu coração, que fecunda.

beijo