29 julho 2009

... momentos
soltos,
felizes. São ventos
que tocam flores
arremessadas por amantes.
Lindos, caminhos,
perfume que no ar se dissipou.
Outros,
tristes,
escorregam lentos,
um fio de seiva,
espesso óleo de madeira,
resina de aroma e dor.

4 comentários:

Mai disse...

Notas amadeiradas e o rastro é o fixador. Quem usava como era? Perfume, homem e mulher e os cheiros das peles no ar.

Bjs.

Fabricante de Sonhos disse...

Quero esses momentos!
Mas que sejam lindos assim, como o seu poetar!!!

Um beijo doce!

Opuntia disse...

Poema cheio de cores, cheiros e sentimentos... bons e maus, como a vida.

Ava disse...

Que contraste de momentos...

Dauri, vivemos esse céu e inferno sempre...

Sobrevir aos maus, faz o outro ficar melhor ainda...rs

beijos e carinhos