27 junho 2009

Passos dou,
umas vezes,


sem querer ir.


Vou...

e nessas vezes vou
para não ouvir
a música
que canta uma saudade,
aquela,
exatamente aquela
que não sei explicar.


Na estrada,
ainda bem,


encontrarei com o sol


mais cedo ou mais tarde,
e serei certo de um dia...

2 comentários:

paula barros disse...

Estou seguindo por essas estradas (nova série), observando, pensando, lembrando...é uma viagem.

O sol sempre volta a nascer, a brilhar.

beijo

Vieira Calado disse...

Passei para ler (ou reler) alguns dos seus poemas.

Gostei.

Cumprimentos meus