31 maio 2009

encerrando a série

IX

(dando um tempo nas possíveis explicações,
voando no chão, um cavalo)

Os poetas andam reservando seus poemas.
Fazem bem se desejam
economizar o ar que respiram. Faltará.
As formigas tem razão. Mas...

Ele, tu,
(repare que o eu e o tu tem u)

o ele de mim, eu, o não-poeta
se hiperventila e tem delírios. Vive
com o que se fala, estende-se pelo capim,
criança, e bebe, e se engasga, e tosse, e bebe

e escarra as estrelas

que caem de certas palavras,
arde, amargas todas, doces depois,
doce que passa e fica ruim
como adoçante na boca que se quer cuspir,

mas tem que aguentar

até o filme acabar. Acabou?
Não me fez, não me faz,
não me fará: repare a letra esse
que traço, abre-se demais, não é assim

que escreve um poeta.

6 comentários:

paula barros disse...

Olha, menino Dauri, faça o que quiser com as palavras. Seja o que quiser, poeta, não poeta, artesão. Mande e desmande nelas, seja amigo delas, cuide delas, sei lá.... Eu não digo mais nada quanto a isso.

Me desculpe se escrevo aqui demais.

O importante é soltar elas ao vento, dar ar a quem precisa. E eu voo com suas palavras e encho os pulmões de palavrinhas ar.


boa semana!!!

Avassaladora disse...

Dauri, vc dá um nó nas palavras...rsrsr

Dasamarre esse nó para mim...rsrsr
Só para mim...!


Beijos avassaladores!

Mai disse...

...somos todos iguais, disto que todos temos e somos pequenos como formigas , sim, sim.
...
Um beijo

Iana disse...

Ola amigo

Já fazia tempo que não aparecia por aqui...

Mas tudo aqui esta tudo perfeito como sempre...

Desejo-te um doce e linda semana
abraços da rosa amiga
Iana!!!

ana disse...

Os poetas andam reservando seus poemas.

Eu de facto reservo os meus, porque ao pé dos seus, credo, parecem tão pouco...

uma boa noite

Germano Xavier disse...

e como é
que
escreve
- se inscreve? -,
o poeta?
tem pote, poção,
loção ele tem?,
pra escrever
tanto mundo
numa linha
talvez?

Abraço forte, Dauri Jack.
Sigamos...