17 maio 2009

7
1A beleza na noite fria veio
por um risco de fogo no céu.
2Ele teve nome humano.
3É preciso saber esse nome
sem ter de ninguém a pronúncia,
senão de si mesmo. 4Cantam-no
os trigais dobrados pelos ventos
que também sopram a luz por dentro.

5Até os animais selvagens, as aves,
os ossos, o sangue e as rochas
convidam à felicidade, ele disse,
mas estais embriagados e não percebeis.
6A mansidão dos lagos e a coragem
dos mares formam as palavras
que bebereis da minha boca.

7Quem tem ouvidos
recolha o som das pétalas
da rosa amarela,
e separe os espinhos
para o fogo do incenso.
8Insensatos, há poesia espalhada
por todos os lugares. Por que estais
parados ao lado de cisternas secas?

6 comentários:

Mai disse...

Porque não beber da fonte da poesia e matar a sede de amar?
Deixo de saber se são apócrifos ou canônicos esses issos que ora li. Porque sinto o sopro dessas palavras trazendo uma luz mansa, capaz de refazer os ânimos daqueles descrentes no homem e no mundo.

Dauri eu não imagino qual o teu próximo salto quântico, sabes?
Desculpa mas tu estás um exagero em beleza e verdade nas palavras com as quais escreves teus issos evangélicos apócrifos, benditos prá mim.
Pra ti, eu até diria amem, crês?

Beijos,
Mai

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO DAURI, SUBLIME POEMA AMIGO... ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

paula barros disse...

Dauri,

Se não formos tão autodestrutivo, perceberemos que tem mais poesia na vida, nas palavras, nos olhares, nas mãos,....que cisternas secas.

As vezes nos embriagamos de nossa própria dor, que aumenta com goles de venenos do nosso eu, e ficamos cegos.

(eu não comento no seu blog, eu converso comigo, eu me escuto)

obrigada, beijo.

Elcio Tuiribepi disse...

OLá Dauri, boa pergunta, cisternas secas não matam a sede de ninguém...
Muito...muito molhado tudo por aqui, assim fica fácil matar a sede da gente e descobrir vertentes ainda mais profundas no poço da alma...Um abraço nela...

Avassaladora disse...

Dauri, ha poseia espalha por todo lado!!
Literamente!!
Moço, tb me pergunto como vc envereda por caminhos tão tortuosos...

Um belo caminho, mas tortuoso!


Beijos avassaladores!!!


Linda semana!

Vivian disse...

...se a poesia existe,
e respira, e vive.
seu berço é aqui!

bj, meu lindo!