28 julho 2008

Passatempo... Hás de treinar o abandono

Nem sei bem por que escrevo poemas,
já que gosto mesmo é de ler romances.
O que sei, o que faço é montar armadilhas
para prender pensamentos soltos, vadios
que pousam onde não deveriam.
Muitos caem no artifício,
pensamentos que dispenso,
poucos separo pra pensar,
e penso, brinco, penso, relaxo
e de pensar faço,
faço surgir em suas penas
um brilho que não têm meus pensamentos,
um brilho passageiro que me distrai,
bem que vivo bem e invisível
e assim me disponho a brincar
de escrever.

Sem sentimento, sem inspiração, tudo n'essapalavra
é uma grande mentira... ou, quem sabe, ficção. Rsrs.
Talvez tenha razão o escriturário corregedor

que em sua útima exortação me disse:

É necessário que te treines no exercício
de abandonar o que escreves n’essapalavra.
O abandono é a saída, tu bem o sabes.
Há ainda um impulso de ingenuidade e ilusão,
uma contra-vontade nas mãos
que te faz escrever. Entendemos.
Todavia, se seguires nossos conselhos,
pode ser que chegue logo
a hora feliz em que terás
a paz de não escrever poemas.
São eles frutos da tua preguiça.
É a rendição ao que é fácil,
ao que não vale. Passatempo...
Mesmo assim, convenhamos...

Has de treinar o abandono.





7 comentários:

Dora disse...

É um tema recorrente esse: o de não-escrever-poemas. Mesmo assim, da sua lavra, vão escorrendo rios de versos, que lemos, e com eles nos inquietamos...
A vida é uma espécie de viagem, você bem o sabe. E há os que se distraem, em viagens, tirando fotos, lendo, dormindo...
Quem sabe "fazer poemas" também não seja uma forma tão lúdica ou aleatória quanto qualquer outra, para não se enfastiar na viagem?
E preguiça é condenável? Onde está essa lei?
E abandono? Abandonar o quê, exatamente? Sair e viver em paz, buscando um novo passatempo para a "viagem"?
Relaxe e poete, amigo.
Minta, finja, engane, nas palavras, porque fazer poesia é só isso...
Eu, por exemplo, brinco de fazer comentários...rs
Abraço apertado!
Dora

Carlos disse...

Olá,
sabe que este seu escrito é nada mais doque aquilo que muitas vezes me passa pelo pensamento? este tipo de conversa interior que ás vezes me assola é um constante "conflio" entre a prosa e a poesia, ou nenhuma dessas porque nem uma coisa nem outra eu sou.

Gostei bastante

Abraço

JOICE WORM disse...

Você ler romances e escreve poemas porque tem um coração tão bom que se desmancha em letrinhas de amor...(Joice Worm)

Bruxinhachellot disse...

Brincar de escrever é uma forma lúdica de passar os sentimentos para o papel e despi-los de qualquer subterfúgio quando outro alguém compartilha de sua brincadeira.

eijos de sol e de lua.

Jo disse...

Ver n'essapalavra mentira, ver n'essapalavra abandono é muito instigante, perceber outros contornos na contra palavra é evocar, é muito mais q ver.

" A poesia é uma mentira, mora
Pelo menos me tira da verdade relativa
E ativa a circulação sangüínea"
(Mancha, Ana Cristina Cesar)

:*

Graziele Alencar disse...

Já dizia Pessoa (meu preferido) que "o poeta é um fingidor/finge tão completamente/ que chega a fingir que é dor/ a dor que deveras sente".
Eu não tenho facilidade pra poesias, talvez, por isso, eu goste mais de prosa.
Beijos.

Camilla Tebet disse...

"a hora feliz em que terás
a paz de não escrever poemas."
Então escrever não nos salva .... Abandone o que escreves sim.. não abanone o escrever. Abandone o que escreves para o que vier.. deixe tomar vida própria as suas palavras. Salve suas palavras.. essa palavra e as outras.