07 dezembro 2007

Lindo pássaro, uma orquídea branca

O mundo todo estava ali no limite do lago
a impor-me um franzir de olhos
para enxergar melhor sob um sol estonteante
um pássaro de pernas aéreas.
Tinha penas brancas, tão brancas,
lindo pássaro, uma orquídea branca
numa haste longa a tornar mais branca
e ainda mais linda a brancura que balançava
devagar, bem devagar...
Ali estava o mundo num único instante,
sem pretérito e sem missão,
em que tudo - em paz - podia acabar.
Na floricultura fiquei parado certo tempo,
segundos talvez,
até que exauriu-se aquele olhar para a orquídea.
Então comprei violetas.

7 comentários:

F. S. Júnior disse...

gostei da conclusão...rs

Lyani disse...

"Ali estava o mundo num único instante,
sem pretérito e sem missão,
em que tudo - em paz - podia acabar"

Que lindo!

Dauri Batisti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jacinta disse...

Dauri,

O bom disso tudo é que você viaja por muitos lugares bonitos e sabe colher tudo de bom que encontra nas ilhas da imaginação: pássaro-orquídea...encanta e seduz...É...
indescritível um sentimento assim. Viajei junto e, ao voltar, encontei violetas. Bom demais.

Jacinta Dantas

lightdancer (telepatia) disse...

Prazer em conhecer você Dauri.
Fico feliz que tenha conhecido meu blog. Volte sempre ok?!

Ana Paula disse...

Pode ser que, o calor e o cheiro do ferro queimado nos leve ao contentamento suficiente e possamos sonhar com uma linda orquídea, de pétalas unidas às asas de um esperto pássaro, trazendo paz e harmonia entre as pessoas. Ainda temos possibilidades. Acredito


Ana Paula

Plinio Uhl disse...

qdo li "sem pretérito e sem missão" achei q fosse a melhor frase do texto (pela escolha da palavra para fazer a oposição). ainda estava com ele na cabeça qdo me deparei com o final. mto bom.